por ​Monique Danello e ​Thayuan Leiras


O Flamengo volta de Avellaneda, depois do primeiro jogo da final da Copa Sul-Americana, na última quarta-feira (6), insatisfeito não só com o resultado: o tratamento do Independiente irritou muito o Rubro-Negro. Tanto que, no jogo de volta, no Maracanã, depois do 2 a 1 na Argentina, o Rubro-Negro fará somente o protocolar em relação ao adversário. Sem mordomias, somente fazendo valer o regulamento.


Quer ficar por dentro de resultados ao vivo, ver calendários de jogos, tabelas de classificação e ainda receber todas as notícias do seu time de coração? Então, clique neste link com seu celular e baixe GRÁTIS o app do Esporte Interativo!

d

Em campo, argentinos venceram por 2 a 1


Portanto, lugares privilegiados nas tribunas e, principalmente, o reconhecimento do gramado do Maracanã pelos argentinos estão praticamente descartado. Pela recepção no jogo de ida, o clube da Gávea não pretende "facilitar" a vida dos hermanos em solo brasileiro. Isso porque, na Argentina, rubro-negros reclamaram nos bastidores de falta de estrutura no estádio Libertadores de América, tribunas com pontos cegos para o campo (veja o vídeo acima) e até limitações no trabalho do staff do clube.


Diferentemente do que costuma acontecer, os jogadores do Flamengo não puderam pisar no campo de jogo até momentos antes do apito inicial. Além disso, só um membro do departamento de comunicação foi liberado para o campo, todos os outros foram barrados. A própria entrada ao estádio foi motivo de críticas, já que jogadores, cartolas e conselheiros tiveram de passar no meio da torcida rival. Na tribuna, ficaram próximos das arquibancadas, e a segurança teve de ser reforçada.


Em contato com a reportagem, o Independiente comunicou que o reconhecimento do gramado não pôde acontecer por conta das condições climáticas, já que era prevista chuva para o dia. Quanto às tribunas reservadas para o Flamengo, eram as únicas do estádio destinadas aos visitantes. Já em relação aos funcionários barrados no acesso ao campo, a responsabilidade fica com a Conmebol.

d

Recepção foi hostil com adversários e até jornalistas


Imprensa sofre, e torcida argentina tem casos de racismo


Nem mesmo os jornalistas que trabalharam na final foram poupados do clima de rivalidade exacerbado. Assim como o Flamengo, a imprensa brasileira também ficou próxima da torcida argentina e também foi alvo da recepção nada calorosa dos gringos. Tanto que a maioria perdeu a entrevista coletiva de Reinaldo Rueda por conta dos hinchas raivosos. A polícia só deixou os profissionais se deslocarem depois de o estádio ser esvaziado.


Isso não foi tudo: no Libertadores de América, torcedores rubro-negros ainda flagraram inúmeros casos de injúrias raciais vindas das arquibancadas argentinas. Como no vídeo abaixo, em que um torcedor amargo, como são conhecidos os do Independiente, faz gestos imitando um macaco para os brasileiros.


Fotos: Buda Mendes/Getty Images

d

Clique aqui com seu celular e baixe GRÁTIS o app do Esporte Interativo!