Blogs

19/5/2020 - Menos de mil brasileiros no México

Transmissão pela TV também atrapalhou a vinda de brasileiros ao país da Copa. A Seleção estrearia em 3 de junho de 1970.

Por Mauro Beting

Leão voltou para a Seleção depois do corte

Leão voltou para a Seleção depois do corte

Muitos brasileiros desistiram de vir para a Copa no México. Decepção com o desempenho da Seleção era um dos motivos. Mais que tudo, a transmissão direta pela televisão pela primeira vez mudava o hábito de quem tinha dinheiro para viajar

Decepção mesmo era do turismo em Guadalajara que esperava muito mais torcedores. Os cálculos otimistas no início do ano esperavam 10 mil brasileiros.

Não vieram mil.

Quanto ao time, a lesão muscular de Gérson preocupava menos naquela terça-feira. Tanto que ele não voltara para Guadalajara. Não precisava de tratamento mais intenso além de gelo na coxa direita e repouso. O preparador físico Admildo Chirol estava tranquilo: "pelo histórico dele, vai voltar voando a campo". Chirol trabalhara com Gérson no Botafogo.

Mas a mulher do craque estava assustada. Gérson ligou para Helena para a tranquilizar. Rogério também o tranquilizou. Perto do que o ponta que havia sido cortado sofrera desde janeiro, a lesão do camisa 8 era coisa pequena.

Saldanha disse que Gérson, na época dele como treinador, já tinha que ser poupado. Criticou a preparado física excessiva da Seleção. Saldanha disse que, pra Gérson, qualquer treino é final de Copa. E ele não consegue se poupar.

No campo médico, o doutor Lídio de Toledo disse que a presença do doutor Abdala dava confiança a Tostão. O oftalmologista havia operado o craque pelo descolamento da retina. 

Leão enfim chegou ao meio-dia na concentração, com cartas para os atletas. Tinha partido do Rio de Janeiro 9 da manhã da segunda-feira. Dormiu na Cidade do México com o cartola Tarso Heresia. Quando chegou, foi muito abraçado pelos colegas, sobretudo pelos companheiros Ado e Félix. E chegou dizendo alto e forte: "chego pra disputar a posição".

Comentários