Blogs

21/5/1970 - Brasil definia premiação no caso de tri

Seriam 15 mil dólares para cada atleta se a Seleção fosse o que seria em 21 de junho. O salário de Pelé, na época, era 10 mil dólares.

Por Mauro Beting

Carlos Alberto levantado o caneco em 1970

Carlos Alberto levantado o caneco em 1970

O chefe da delegação brigadeiro Jerônimo Bastos definiu a premiação para a seleção: 15 mil dólares e mais a propriedade de uma Loteria Esportiva, que rendia 9% dos lucros aos proprietários.

Gérsoa seguia vetado para o último amistoso antes da estreia (3 de junho). Paulo César Caju havia melhorado do problema no tornozelo e seria seu substituto.

O rodízio dos goleiros seguia. Ado jogaria. Leão seria o reserva, Félix poupado.

Emmanuel Schefer, treinador de Israel, seleção que estrearia na Copa: "Sou fã do futebol-arte do Brasil. Mas, no México, vai ganhar o Mundial a equipe melhor condicionada fisicamente. Os europeus levam vantagem quanto a isso".

(Na teoria ele teria razão. A questão é que até nisso o Brasil se superou e voou fisicamente durante o Mundial).

Nelson TRodrigues seguia em O GLOBO com sua cruzada otimista: "Ganhamos a Copa. O homem brasileiro ganha a Copa. Antes do craque vem o homem.  E o Brasil tem craques. Pelé. Rivellino. Tostão. Gérson. Antes da primeira chupeta sabiam tudo".

Comentários