Blogs

Após a falha grave, Hugo mostrará se está pronto para este nível

A forma como Hugo Souza vai reagir após esse primeiro grande erro de sua carreira vai definir o futuro, pelo menos no curto prazo, dele

Por Vitor Sérgio Rodrigues

Hugo Souza começou de forma meteórica no time de cima e contra o São Paulo conheceu seu maior erro até aqui

Hugo Souza começou de forma meteórica no time de cima e contra o São Paulo conheceu seu maior erro até aqui

Um goleiro jovem, um goleiro da base tem muito mais dificuldade para se firmar no time profissional do que jogadores das outras posições. Normalmente é assim, pela especificidade da posição, por ser uma função que demora mais a pegar a confiança da equipe. E, em muitas vezes, nem mesmo um excelente início de carreira serve para mudar esse cenário.

O assunto do futebol brasileiro nesta quinta-feira é a gigantesca falha do goleiro Hugo Souza, que tentou driblar Brenner, foi desarmado de forma jocosa e o São Paulo venceu o Flamengo no jogo de ida das quartas-de-final da Copa do Brasil. Esse erro pode ser o momento para observarmos se Hugo, alçado ao time profissional durante o surto de Covid-19 na equipe rubro-negra, está realmente pronto para atuar nesse nível de competitividade e exigência.

A forma como Hugo Souza vai reagir após essa primeira grande falha de sua carreira vai definir o futuro, pelo menos no curto prazo, dele. É evidente que Hugo tem muito potencial e é muito comentado desde as seleções brasileiras de base. Desde sempre mostrou personalidade, como a demonstrada ontem, no gramado do Maracanã, “colocando a cara” para falar à TV Globo no fim do jogo. Bateu no peito, admitiu a lambança e se disse ciente de que precisava aprender com o erro. O discurso foi muito bom. Agora é preciso confirmar isso na prática.

Neste século há vários casos de goleiros que saíram da base de grandes clubes, tiveram um grande início, mas depois da primeira falha grave não conseguiram reagir. Isso aconteceu no Botafogo, no Vasco, no Palmeiras, entre outros grandes clubes. Agora a bola está com Hugo Souza. A falha grave está materializada. A autoconfiança e a personalidade agora precisam aparecer quando ele tiver outra oportunidade, para retomar o rumo do meteórico e intenso início de carreira que teve no time de cima.

Nem os elogios exagerados, nem as críticas acima do tom vão definir o que Hugo Souza se tornará. Vai depender da forma como ele vai reagir ao erro a partir de hoje.

Comentários