Blogs

Aquela deliciosa sensação de ser Liverpool

Eu não sou. Mas eu gostaria de estar sendo agora.

Por Mauro Beting

The Kop. A torcide de Klopp. A bancada que sempre joga

The Kop. A torcide de Klopp. A bancada que sempre joga

Em 1947, o Liverpool não estava em campo para celebrar um título inglês. O torcedor que ainda não deixava ninguém andar sozinho esperou o Stoke não vencer o Sheffield United depois de 15 dias para soltar o grito encaminhado e entalado.

Foram 15 dias apenas. Há 73 anos.

Agora foram 30 anos para ser enfim merecido campeão nacional sem estar presente em campo depois do Manchester City não conseguir vencer o Chelsea. Com absurdas seis rodadas de antecedência, 28 vitórias, 2 empates e uma derrota. E por ora 23 pontos à frente do vice.

Só agora Klopp conseguiu o que eu esperava desde que o alemão chegou a Anfield. Mas só depois de ganhar o mundo e a Europa - o que eu não esperava tanto. Só depois de ter sido o vice mais campeão da história ano passado - teria vencido com aquela pontuação 105 dos 120 campeonatos ingleses.

Tinha que ser sofrido. Como tantos pelo mundo sofrem muito mais com a pandemia. Como as famílias dos 96 de 1989 em Hillsborough sofrem muito mais.

Como aquele garotinho que perdeu seu primo. Aquele mesmo que um dia em 2014 pisou na bola contra o mesmo Chelsea como jamais havia feito e perdeu uma Premier ganha. Aquele capitão de Istambul. Esse colosso que gera orgulho até em quem não é vermelho de sangue e alma como Gerrard.

O Liverpool não estava em campo para ser o campeão da Premier 2019-2020. Mas ele sempre esteve em campo melhor do que outras máquinas como o Manchester City.

E, eles sabem mais do que nós, sempre estão em qualquer e campo muitas vezes melhores do que os rivais. Nem sempre porque jogam mais. Têm mais time. São melhores. Têm mais recursos.

Eles, como alguns dos rivais, ganham mesmo porque são vencedores não por fazerem mais gols, vencerem mais jogos, ganharem mais pontos.

Eles ganham porque estão lá. Mesmo com o time desta vez nem precisando estar em campo. Eles estão lá ganhando como Reds. Ou perdendo como vermelhos também.

Eles ganham porque todo dia tem jogo. Mesmo tendo pandemia.

Eles ganham porque todo dia é uma vitória só por eles serem quem são.

Não sou Liverpool. Só torço pelo Palmeiras.

Mas hoje eu queria ser um pouco.

Só pra me sentir campeão tão merecido. Só pra sentir aquela sensação deliciosa de ser campeão.

É isso?

Que delícia.

Mas com todo respeito: isso eu sei bem o que é. Porque eu sou Liverpool.

Basta.

Comentários