Blogs

Diego Carlos, “o muro” do Sevilla que entrou no radar dos grandes da Europa

Zagueiro brasileiro, que volta a campo nesta quinta com o Sevilla no retorno do Campeonato Espanhol, está na mira dos grandes clubes

Por Tatiana Mantovani

Diego Carlos, do Sevilla, enfrentando Messi(AFP)

Diego Carlos, do Sevilla, enfrentando Messi | AFP

Diego Carlos chegou ao Sevilla no início da temporada por 15 milhões de euros (cerca de 65 milhões de reais na época), menos de um ano depois já vale mais que o dobro - 32 milhões de euros (cerca de 180 milhões de reais hoje), de acordo com o portal 'Transfermarkt'.

A valorização do zagueiro brasileiro, de 27 anos, se deve ao seu rendimento imediato no time do Sul da Espanha, após 3 anos defendendo o Nantes, da França.

Apelidado de “El Muro” pelos torcedores do Sevilla, Diego trouxe músculo e sobriedade para a defesa do Sevilla. Com um nível altíssimo de concentração e um porte físico natural, o zagueiro é uma das peças fundamentais do sistema de defensivo de Julen Lopetegui. Diego é o segundo jogador com mais minutos em campo nesta temporada, o técnico não abre mão dele.

O físico de Diego Carlos chama atenção na Espanha. Crédito: AFP

Em pouco tempo, o zagueiro conquistou a torcida, a comissão técnica e os companheiros, além de ter entrado no radar de outros clubes. A imprensa espanhola já o vinculou ao Liverpool e ao Barcelona. Diego tem seus objetivos bem claros em relação ao futuro.

“O Sevilla é um clube gigante, joga sempre a Europa League, briga para disputar a Champions. Meu objetivo é poder jogar em um clube maior e alcançar a Seleção Brasileira”, disse em entrevista exclusiva ao Esporte Interativo.

O Sevilla sabe disso e colocou uma multa rescisória alta no contrato do jogador, 75 milhões de euros (mais de 400 milhões de reais) de acordo com a imprensa local.

“Jogar com Van Dijk ou Piqué? Isso quem vai decidir será o final da temporada”, brincou Diego.

O Sevilla volta à campo nesta quinta-feira. O Campeonato Espanhol será retomado com um dos grandes clássicos do futebol espanhol, Sevilla x Real Betis. As 43 mil cadeiras do Estádio Ramón Sánchez-Pizjuán estarão vazias, será um dérbi diferente. Para Diego Carlos, será seu primeiro derbi “em casa”, o primeiro jogo depois de 3 meses.

“Os times que estiverem fisicamente e mentalmente mais preparados vão levar vantagem”, afirmou o zagueiro. Um recomeço para o futebol e mais uma oportunidade para Diego mostrar que é um “muro” que pode ser erguido em outros gramados.

Comentários