Blogs

Fábrica de canetas Suárez

Há pouco mais de cinco anos, o uruguaio Luís Suárez deu duas canetas em um indefeso David Luiz, marcando dois golaços na sequência, abrindo o caminho da classificação do Barcelona sobre o PSG

O drama de David Luiz na marcação de Suárez(Getty Images)

O drama de David Luiz na marcação de Suárez | Getty Images

O PSG estava todo empolgado. Havia eliminado o Chelsea de maneira heróica em Stamford Bridge nas oitavas. A equipe parecia mais encorpada, com um ano a mais de experiência, entrosamento e fome para vencer na Champions. E tinha a chance de se vingar da dolorosa eliminação nas quartas-de-final para o mesmo Barcelona, dois anos antes. Mas a realidade foi dura, em apenas 90 minutos. Uma derrota por 3 a 1, na sutileza das canetas de Luís Suárez.

O Esporte Interativo te dá a chance de rever essa grandiosa partida, o jogo em que Suárez distribuiu canetas no brasileiro David Luiz, nesta terça-feira, às 16h, na TNT e no Facebook do EI. É o começo do auge do trio MSN, naquela caminhada à tríplice coroa da temporada 2014-15. Eu não vou perder!

O Barcelona comandou o primeiro tempo, explorando demais o duelo Neymar x Van der Wiel na ponta esquerda. Por ali saiu o 1 a 0, na assistência de Messi para o brasileiro entrar livre e bater rasteiro. O Barça teve outras chances para aumentar, mas não o fez e o PSG equilibrou o jogo. No início da etapa final, o PSG começava a incomodar, quando Suárez decidiu o jogo com dois gols antológicos.

Em ambos, o zagueiro David Luiz foi uma vítima aparentemente impotente. Levou duas canetas desmoralizantes e na sequência o atacante uruguaio fez os gols, dois golaços. O primeiro drible foi na ponta direita, com a bola passando entre as pernas do brasileiro e ficando à feição na área. Suárez ainda passou por Maxwell e Marquinhos antes de chutar de bico no canto e vencer Sirigu.

Alguns minutos depois, Messi aciona Suárez na intermediária, com espaço para acelerar. Em velocidade, só havia David Luiz entre ele e o gol. David Luiz pareceu hesitar por um momento. Quando decidiu ir, estava completamente vendido, querendo diminuir a distância. Suárez percebeu e instintivamente aplicou a caneta clássica. Com a bola na distância perfeita, levantou a cabeça, viu onde Sirigu estava e bateu de forma espetacular, no ângulo, com requintes de crueldade. Barcelona 3 a 0.

O PSG ainda diminuiu com Van der Wiel, havia todo o jogo da volta no Camp Nou. Mas a realidade é que essa eliminatória acabou ali, naquelas duas canetas de Luís Suárez. O simbolismo dos dois lances era muito grande. Um Barcelona leve, cheio de armas, com a sensação de ser imparável contra um PSG abatido. Assim, a Tríplice Coroa era questão de tempo. Como foi.

Comentários