Blogs

Gol da Alemanha! E um 4 a 0 com cara de 7 a 1

Bundesliga volta com protocolos rígidos, disciplina, organização e ótimos jogos. Remotada mostra que é possível ter futebol. Mas a goleada do Dortmund deixa claro pra nós: A Alemanha está em outro patamar! 

Por Bruno Formiga

O futebol foi remotado na Alemanha. Sem torcida e com muitas regras, a Bundesliga voltou. Em grande estilo, com ótimos jogos, bom ritmo e um recado: planejamento, organização, transparência e disciplina fazem toda a diferença. Uma aula, principalmente para um Brasil completamente perdido na crise.

A goleada do Borussia Dortmund em cima do Schalke 04 é apenas o símbolo mais evidente do que deu certo. Jogadores cumprindo distanciamanento, reservas seguindo regras e toda a logística da partida sendo obedecida à risca. Isso sem contar o nível do confronto, como se nunca tivesse havido pausa nos treinamentos.

Ah. Bom registrar. O mundo mudou. Mas Haaland não. O norueguês meteu mais um (além de uma assistência) e chegou a inacreditáveis 41 gols em 34 jogos.

Sim. Não tinha torcida e muito do protocolo deixou o produto final mais frio. Ok. Por enquanto, é o jeito. Pra voltar agora era preciso alguma (ou muita) perda. O novo normal é diferente do que era antes. Por quanto tempo? Não sabemos.

A Bundesliga vai cumprir os contratos, completar seu calendário, preservar a saúde dos envolvidos e passar a mensagem que com tratamento sério das autoridades, mapeamento, testagem massiva (constante) e com planos é possível minimizar o sofrimento deste período e entregar algum entretenimento para as pessoas que estão em casa. 

Pra nós, à distância, esse 4x0 do Borussia soa como um 7x1 moral, político e social. 

É gol da Alemanha!

Um projeto de país onde as pessoas têm senso coletivo, consciência de sociedade e estrutura para em pouco mais de 60 dias voltar a ter bola rolando em seus estádios.

Por aqui, discussões vagas, rasas e completamente descoladas da realidade. Inversão de prioridades e valores, atraso, falta de planejamento. Nos resta aplaudir a Alemanha. E esperar - muito - pela volta do futebol.

Temos um longo caminho pela frente.

Comentários