Blogs

Lamentável! Tic tac tic tac....

Se nada drástico for feito, a próxima bomba já está armada e também irá explodir na mão do próximo árbitro.

Por Péricles Bassols

1/2
Lamentável! Tic tac tic tac....

Lamentável! Tic tac tic tac....

Lamentável! Tic tac tic tac....

Lamentável! Tic tac tic tac....

Estive em 3 GreNais: 
Um como árbitro adicional - aquele que fica atrás do gol, lembra?
Outro, no GreNal 417, como árbitro central- é isso mesmo, este clássico tem até número quando é anunciado, tamanha a sua rivalidade.
No último que fiz, estive como VAR.

Posso até não ser o mais experiente para falar do clássico, mas com certeza já vi o maior e mais disputado clássico deste país de várias perspectivas. 
Em 2018, quando atuei como árbitro principal do 417, a disputa na rodada era pela liderança do brasileirão.
Adivinha?!?! Deu confusão depois do apito final. E, assim como ontem, toda a bagunça criada por eles não foi decorrente de omissões da arbitragem. Sim, as vezes  o árbitro ajuda a explodir a bomba.

 Até ao Tribunal Desportivo eu fui convocado para ajudar com esclarecimentos. 
Não tem jeito! Algo drástico precisa ser feito. 
O histórico de jogos e acontecimentos anteriores sempre deixará o próximo GreNal tenso e com uma carga desnecessária para um jogo de futebol. Some-se a isso o estúpido ímpeto que os jogadores têm de achar que estão representando suas camisas fazendo o que fizeram ontem e Bummm! A bomba que está sempre armada, explode.
Só há uma maneira de desarmá-la.
Minha solução é simples e vale para qualquer jogo:
Federação Gaúcha, CBF ou Conmebol tem que estabelecer punições exemplares e sem precedentes para episódios assim, além da participação dos próprios clubes envolvidos. Estes têm que ir forte no bolso dos jogadores envolvidos e punidos pelos tribunais desportivos, diminuindo seu salário - algo que já estaria previsto em contrato.
Fica a sugestão, Conmebol: 3 jogos para cada expulso ontem e banimento da libertadores 2020 de Moisés -do Inter- e de Paulo Miranda -do Grêmio.
Além disso, multa severa ao clubes que protagonizaram o episódio e mancharam a imagem da competição. Do contrário, ficará para o proximo árbitro adiar a explosão de uma bomba que nunca se desarma.

Comentários