Blogs

Messi, De Bruyne e um Feliz Dia do Garçom

No dia em que se comemora o Dia do Garçom no Brasil, os dois craques se preparam para servir na reta decisiva da Champions League

Por Vitor Sérgio Rodrigues

Passes para o gosto de qualquer "freguês"(Montagem Esporte Interativo)

Passes para o gosto de qualquer "freguês" | Montagem Esporte Interativo

O 11 de agosto é o Dia do Garçom no Brasil, historicamente conhecido como o país do futebol. E a união “garçom + futebol” cai muito bem na mesa de quem curte o esporte mais popular do mundo. Aquele passe que quebra a defesa e deixa o companheiro na cara do gol é um dos momentos mais bonitos do jogo. Neste ano, os garçons estão muito bem representados em dois craques que estabeleceram marcas importantes servindo “seus clientes”, sem ganhar 10, 12 ou 20% de gorjeta: Messi e De Bruyne.

O meia belga do Manchester City igualou uma marca histórica no Campeonato Inglês desta temporada: igualou as 20 assistências de Thierry Henry, em 2002-03. Na verdade, ele poderia ter até passado o francês, considerando que uma assistência legítima não foi computada para ele, por um toque na defesa que não aconteceu. Inteligente, rápido, habilidoso e técnico, De Bruyne muitas vezes surpreende os próprios companheiros, que não estão prontos para receber a bola de bandeja e acabam desperdiçando.

No Campeonato Espanhol, Lionel Messi registrou o recorde absoluto de assistências num único campeonato, 21 passes para gol, superando os 20 do ex-companheiro Xavi, em 2008-09. Além disso, se tornou o primeiro jogador da história a registrar mais de 20 gols e mais de 20 assistências no mesmo torneio (ele fez 25 gols). Messi consegue aliar o faro de gol do segundo maior artilheiro do mundo em atividade com a precisão de quem cria e oferece vários gols para quem joga ao seu lado.

Os dois principais garçons do futebol mundial na atualiadade agora voltam seus atendimentos para o “maior restaurante”: a Champions League. Suas equipes vão precisar muito do serviço deles para buscarem a final do torneio. O Barcelona depende demais das ações de Messi. E De Bruyne é o jogador diferente do ótimo coletivo do City. E outros ótimos garçons também seguem nessa batalha, como Neymar, Thomas Muller, Papu Gomez. De falta de bons garçons os atacantes não poderão reclamar...

Comentários