Blogs

Minha Seleção do 1º turno! Cornetas em 3, 2...

Com um Brasileirão bem equilibrado até aqui, cinco equipes aparecem representadas nas minhas escolhas

Por Taynah Espinoza

Por conseguir fazer o Inter competitivo com menos peças, Coudet foi o meu treinador escolhido

Por conseguir fazer o Inter competitivo com menos peças, Coudet foi o meu treinador escolhido

Fim do primeiro turno (teoricamente, porque na prática, tá cheio de jogo atrasado) do Brasileirão e resolvi montar minha Seleção do campeonato até aqui. Diferente das minhas escolhas do ano passado, que ficaram basicamente em cima de jogadores do Flamengo por dominarem a competição, dessa vez, pelo menos por enquanto, o time está bem misturado, o que diz muito sobre o campeonato dessa temporada, mais equilibrado também.

Cinco clubes aparecem representados no meu time. A maioria ainda é do Flamengo, junto com Atlético-MG, seguido de Santos, Inter e Fluminense, a grande surpresa da competição até aqui.

Na sequência, explico um pouquinho os motivos pra cada jogador escolhido:

- João Paulo: pela idade e pela forma que apareceu, é natural lembrarmos de Hugo Souza, o Neneca do Flamengo, como grande goleiro do campeonato até aqui. Mas pelo baixo número de jogos, só 9, contra 17 de João Paulo no Santos, fui de João Paulo que fez defesas impressionantes até aqui.

- Isla: com boa leitura de jogo, ajuda muito o Flamengo na fase de ataque, quando se posiciona bem aberto pela ponta, num papel fundamental pro jogo posicional que Dome implementou. Tem 4 assistências em 11 jogos no Brasileirão.

- Nino: zagueiro mais seguro e mais técnico do Fluminense. É bom na bola aérea. Pela constância, pelo baixo número de faltas e de cartões recebidos (só 2 amarelos em todo o turno), merece aparecer na minha Seleção.

- Junior Alonso: enquanto Sampaoli roda Réver (que faz um belo campeonato) e Igor Rabello, Junior Alonso é zagueiro titularíssimo do Galo até aqui. Pedido pelo treinador, ele é bom no desarme, muito técnico e tem ótimo posicionamento.

- Arana: mesmo gostando muito de Filipe Luis, Arana ganha com alguma tranquilidade aqui pela capacidade de influenciar o jogo do Galo. Ele é decisivo na hora da construção, criando chance clara ou dando assistência e ainda faz muito bem a pressão que Sampaoli exige do time pra recuperar a bola ainda no campo de ataque. Tem 2 gols e 2 assistências em 15 jogos que começou como titular.

- Thiago Maia: achou uma brecha num meio-campo já estabelecido e campeão com Gerson e Willian Arão. Parece ter entendido melhor as ideias de jogo de Doménec Torrent, tanto que começou no banco, mas com o tempo ganhou seu espaço. Muitas vezes, é quem dá dinamismo ao meio do Flamengo.

- Marinho: tá voando tanto que tem mais participação em gol do que jogo até aqui. São 12 gols e 5 assistências em 15 jogos como titular. É a temporada mais regular de Marinho, que cresceu muito na tomada de decisão desde o ano passado.

- Everton Ribeiro: com a mudança de treinador e a modificação na forma do time jogar, conseguiu manter o mesmo alto nível do ano passado. Em 13 jogos que foi titular, deu 2 assistências e fez 5 gols, 2 deles, contra Bahia e Fortaleza, estão certamente entre os mais bonitos do campeonato. Faz o futebol parecer fácil.

- Galhardo: mais próximo do gol, como já tinha atuado em alguns momentos no Ceará ano passado, vive melhor momento da carreira. Participou de 20 dos 30 gols que o Inter fez no Brasileirão até aqui. Sem Galhardo, o Inter sofre.

- Keno: começou 14 jogos como titular e participou efetivamente de 10 gols. Fez 8 e deu assistência pra 2. É a velocidade do Galo.

- Pedro: a leitura do jogo, a forma como posiciona o corpo, a facilidade pro desmarque, a capacidade de finalização. Pedro impressiona.

Comentários