Blogs

O confronto da maturidade de Gabriel Jesus

Um gol e a suspensão de Sergio Ramos na ida e um gol e uma assistência na volta. Gabriel Jesus foi o nome do City na eliminação do Real Madrid, seguindo a evolução em sua carreira

Por Vitor Sérgio Rodrigues

O "Alô mãe" apareceu no Eithad Stadium nesta sexta-feira(Getty Images)

O "Alô mãe" apareceu no Eithad Stadium nesta sexta-feira | Getty Images

A ausência de Sergio Agüero no duelo decisivo contra o Real Madrid não foi notada. Porque Gabriel Jesus foi o protagonista da classificação do Manchester City para as quartas-de-final da Champions League, fazendo um gol e dando uma assistência na nova vitória por 2 a 1, agora na Inglaterra. Uma atuação que mostra a maturidade que Gabriel Jesus atingiu para estar fazendo a diferença na maior competição de clubes do mundo.

Na primeira partida, Jesus marcou o primeiro gol, de cabeça e em um jogada em que ele tinha uma grande chance, Sergio Ramos foi expulso. Na volta, cumprindo muito bem a função pedida por Guardiola na marcação pressão, roubou a bola de Varane e deu para Sterling abrir o placar e marcou o segundo, chegando mais rápido que Courtois após outro erro do zagueiro francês.

A carreira de Gabriel Jesus é repleta de “etapas queimadas”. Rapidamente virou titular do Palmeiras e protagonista em um título brasileiro. Na mesma velocidade, estreou e se firmou na Seleção como se estivesse jogando no quintal de casa. E logo depois, já estava vendido para o Manchester City, com Pep Guardiola ligando no celular dele. Por isso, esquecemos que ele chegou à Inglaterra com apenas 20 anos. E que hoje, só tem 23.

No City, a trajetória de Gabriel Jesus foi “normal”, com ele chegando, se ambientando, ganhando minutos, melhorando, piorando, melhorando de novo. Essa evolução “menos rápida” do que havia sido desde o início da carreira, somada à atuação ruim na Copa do Mundo, com apenas 21 anos, lembremos, passou a sensação que Gabriel Jesus estagnou. Mas isso nunca aconteceu. Ele passou a evoluir numa velocidade “normal”. Mas sempre ganhando espaço no City. Se firmando.

Essa eliminatória é a cristalização disso. O City deixou o gigante Real Madrid para trás na Champions, com Gabriel Jesus sendo decisivo nos dois jogos. E nesta sexta, foi decisivo porque cumpriu algo que poucos atacantes fazem com essa dedicação: o trabalho sem bola. Mais um passo na formação dele como um jogador confiável. Foi o confronto da maturidade de Gabriel Jesus.

Comentários