Blogs

Por que para nos defender precisamos atacar pessoas e reputações?

Neste Brasil que se perde, fofoca, fantasia e fake news viram suposição; a suposição vira indício; o indício vira fato; o ato vira julgamento;  o julgamento vira condenação; condenação vira linchamento; linchamento vira justiça.

Por Mauro Beting

Por que para nos defender precisamos atacar pessoas e reputações?

Por que para nos defender precisamos atacar pessoas e reputações?

BAP, eu até entendi o que você tentou dizer quando você parecia estar bêbado ou drogado quando falou que Abel Braga parecia "estar bêbado ou drogado" por algumas declarações e escolhas infelizes no Flamengo em 2019. 

Não é inacreditável porque o Brasil desmoralizou o inacreditável com declarações inacreditáveis como essa.

Ainda mais para um dirigente "responsável" pelas "relações externas" de um colosso como o Flamengo. Como rubro-negro, BAP pode reclamar do trabalho de Abelão que foi abaixo da média excelente de Abel na carreira (mesmo que com bons números na Gávea, mas abaixo do potencial excelente do elenco que seria ainda mais qualificado depois).

Como alguém do futebol, porém, o que BAP falou de um treinador como Abelão não cabe. E não caberia para ninguém.

Como ser humano, o que BAP falou de uma pessoa como Abelão não se fala nem para o travesseiro que não creio que ele esteja usando devidamente. Ou dialogado com ele.

Como pai, então, Abel não merecia tamanha falta de noção de quem fala em nome da maior nação do Brasil. Do melhor time que vi neste século. Não é possível que esse excelente trabalho seja feito também por quem fala o que se falou. 

(E já me adianto aqui aos comentários que virão de torcedores de cartolas: "e aí, o, paulista clubista, bairrista e antiflamenguista: não vai falar nada do seu ídolo Dudu?"

Não.

Não vou falar porque não sou o Leo Dias de todos os dias, e o Felipe Neto que precisa comentar nos últimos meses todos os assuntos. 

O problema de Dudu é familiar e não esportivo. É caso de polícia e de Justiça. Em andamento. 

Não comento. 

Mas reitero: em briga de casal se mete a colher sobretudo se houver violência contra a mulher; a mulher que mais defende a humanidade precisa sempre ser defendida de qualquer ataque.)

Comentários