Blogs

Quantos profissionais podem ser salvos com o salário reduzido de um jogador?

Flamengo demite funcionários antes de anunciar redução salarial do elenco. Corinthians diminui 25% do salário dos atletas, mas corta 70% dos ganhos dos outros colaboradores do clube. É justo?

Por Taynah Espinoza

No último sábado, o Bruno Formiga e a Monique Danello informaram, aqui mesmo no Portal do Esporte Interativo, a demissão de cerca de 60 funcionários no Flamengo e como isso tinha mexido com o elenco. E aí eu fiquei me perguntando: são justas essas demissões todas antes de anunciar um reajuste no salário dos jogadores?

Folha salarial do elenco principal do Flamengo gira em torno de 15 milhões de reais, o que representa praticamente 70% dos gastos de toda a instituição. Foto: Getty Images

Uma redução, de um atleta, de 10% que fosse, certamente já salvaria alguns desses funcionários. Imagina então essa mesma pequena redução de todos os jogadores. Nesse momento, em que tudo está tão complicado, vale mais demitir 60 pessoas e dificultar a vida de 60 famílias a pensar nessa negociação?

Vamos além. O Corinthians negociou a redução do salário dos atletas profissionais em 25%. Mas quando se trata dos funcionários em geral do clube, mais baratos do que a folha do time principal, a redução sobe pra 70%. A ajuda de custo a atletas ainda amadores foi suspensa, seja no futebol, no futsal ou no basquete. Esse dinheiro, cerca de R$800,00, ajuda muitas famílias a sobreviverem.

Corinthians decide por redução salarial de 25% para jogadores e 70% para funcionários. Foto: Getty Images 

Será que é realmente correto que se faça essa economia que afeta menos a instituição e tanto as famílias em vez de uma conversa com os atletas, que já tem vidas financeiras estabelecidas? Eu entendo que eles são a principal fonte de receita do clube. Mas entendo também que, agora, quem mais tem precisa ceder a quem menos ganha.

Comentários