Blogs

Robinho não está sendo ressocializado. Ele está sendo absolvido pelo Santos

A contratação de Robinho pelo Santos trouxe à tona algumas discussões. Uma delas é sobre segunda chance e empatia. No fundo, porém, trata-se apenas de demagogia pura

Por Bruno Formiga

Robinho não está sendo ressocializado. Ele está sendo absolvido pelo Santos

Robinho não está sendo ressocializado. Ele está sendo absolvido pelo Santos

Robinho está de volta ao Santos. O clube contratou seu ídolo novamente, mesmo com uma condenação por violência sexual em primeira instância na Itália. O recado, pra mim, é claro: o ganho técnico do time é mais importante agora que o debate moral.

Importante ressaltar um ponto. Ressocialização é tratado como fundamento do Direito Penal. E eu defendo total. Mas isso vale para quem teve liberdade privada e precisa se readequar à sociedade. Ou seja, ressocialização é pra quem cumpriu pena.

Ressocializar, assim sendo, é colocar na sociedade NOVAMENTE. Logo, tem lhufas a ver com a situação Robinho-Santos. ZERO. Muitos têm usado algo que sequer acreditam como princípio para passar pano e minimizar uma situação.

Robinho foi condenado na Itália por violência sexual. E agora recorre para provar que é inocente. Simbolicamente, sua contratação ignora um fato (mesmo depois de debater sobre) e deixa o peso do ídolo ser maior que o peso moral de um recado institucional torto e triste.

Trazê-lo é escolher um lado, mesmo que a ideia não seja essa. Um vespeiro que o clube não precisava se meter agora. Não tem jeito. Cada ação tem uma reação.

Não contratar Robinho não é condená-lo previamente. É esperar para ser justo. Com o réu e com a vítima. Mas fechar acordo com ele, em parte, é absolvê-lo. Ou, pior. Dizer, sem precisar falar, que o episódio simplesmente não importa.

Comentários