Blogs

"Sou eu que vou sair, porra!”

Expulsão polêmica de Gabigol, nos acréscimos, teria sido por desrespeito e não por atraso no reinício da partida.    

Por Péricles Bassols

Reação de Gabigol após expulsão no Fla Flu de hoje.(esporteinterativo.com)

Reação de Gabigol após expulsão no Fla Flu de hoje. | esporteinterativo.com

Em uma análise simples e rápida, vendo o lance apenas uma vez, precisaria de muitas explicações  para apoiar a decisão do árbitro  Wagner Magalhães  na decisão  de expulsar o atleta do Flamengo. Como a súmula ainda não foi divulgada, vamos às possibilidades:
1) Caso o cartão amarelo tenha sido por retardar o jogo, atrasando a substituição, o árbitro  perdeu a oportunidade de esgotar o processo  com todas as ferramentas  que tem. Como gestor do jogo, ele deve deixar claro que o atleta fez algum tipo de cera - lembrando que a regra diz que o jogo deve seguir se o atleta a ser substituído se negar a sair, bastando apenas autorizar o reinício. No caso de reincidência, aí sim este jogador deve levar cartão  amarelo.
Ainda falando do sobre tentar retardar o jogo, se  a arbitragem percebe que se trata de uma ação orquestrada da equipe para atrasar o reinício, o atleta a ser substituído, em geral, também é o punido;
2) Caso o cartão tenha sido por motivo de ofensa, o  correto deveria ser o cartão  vermelho;
3) Se o motivo foi alguma linguagem desrespeitosa, aí sim, pode-se aplicar um cartão amarelo.
Pelo que apurei nas últimas horas, no caso do jogo de hoje, o cartão aplicado se encaixa na terceira hipótese. Quando o árbitro perguntou para o quarto árbitro quem iria ser substituído, teria escutado do Gabigol, em alto e bom som: "Sou eu que vou sair, porra!”
Na minha opinião, Wagner Magalhães  escolheu  o momento errado para este cartão amarelo. Em arbitragem dizemos que este tipo de cartão tem que ser dado como numa foto colorida e nítida. Isso significa dizer que o árbitro tem que fazer tudo o que está a seu alcance e ser preventivo o suficiente para que todos no estádio, inclusive o pipoqueiro do lado de fora, saibam o motivo pelo qual determinado jogador será advertido. Isso, definitivamente, não foi feito!

Gabigol tenta argumentar com o arbitro Wagner Magalhães após término da partida./TupiFM

Da maneira como ocorreu, todos foram pegos de surpresa, o que enfraquece a decisão e a boa arbitragem que Wagner fez durante os 90 minutos, já que o episódio se deu nos acréscimos. 
Arbitragem preventiva é melhor que reativa. Em uma você evita o problema e na outra, geralmente, tenta consertar um problema que ajudou a criar ao não agir preventivamente.

Nesta segunda-feira (13), foi divulgada a súmula da partida. Veja:

Súmula da partida entre Fluminense x Flamengo
Súmula da partida entre Fluminense x Flamengo. Crédito: Reprodução
Comentários