Blogs

Um balanço do VAR 2019

Foi bom mas podia ter sido muito melhor.

Por Péricles Bassols

O VAR teve seus problemas, trouxe dúvidas e questionamentos naturais que qualquer novo processo traz ao ser implementado, em qualquer setor, mas também trouxe números e com números, sempre vem as certezas.
Apenas dizer por dizer que não presta e que foi ruim, nao seria correto, coerente nem inteligente.

Números são frios!

Derrubam as convicções das avaliações  passionais do pós jogo de uma derrota( terreno fértil  para teorias da conspiração  e caos).

Aqui estão alguns números que mostram que é  uma ferramenta essencial, um caminho sem volta.
Sabendo ainda que o tempo traz ajustes e o treino, seja ele na prática do dia a dia ou forçado como deveria ser, levará a cada vez mais acertos, o relatório abaixo é  bom mas ainda pode ser bem melhor.

Eu mesmo apontei e contínuo apontando fatores que podem e devem ser implementados para melhorar a experiência  VAR, não só no Brasil, mas no mundo também.
Alguns dos que pedi estão a caminho, como a revisão ao vivo nos telões do estádio e uma central( que dependia de tecnologia  de fibra ótica) , no Rio ou em São Paulo, que permitisse aos árbitros e comissão  de arbitragem passar mais tempos juntos treinando, outro ponto que bati muito durante o ano.
Vimos erros e deturpação  do protocolo em todo o mundo, mas onde os árbitros  são melhor e mais bem treinados, vimos menos.
Faltam coisas na  minha opinião, mas esses avanços se acontecerem mostram que não estão de ouvidos tapados ou de antolhos( aquele acessório  posto na cabeça dos cavalos para que eles não se distraiam olhando para os lados).
Esta parte de olhar muito para dentro e se preocupar apenas com a repercussão  de erros grandes, me preocupou  bastante este ano. Vi a comissão, por várias vezes, defender o indefensável e algumas delas até,  interpretando ou reinterpretando lances, o que atrapalhou demais a consolidação  de conceitos importantes para os árbitros  seguirem uma linha de atuação durante o ano.
Apesar de toda a experiência  do Gaciba em tantos anos de campo e TV, quando se está a frente de uma comissão de arbitragem,  imagino eu, a realidade  deve ser bem diferente do que se imagina.

Comentários