Blogs

VAR e Premier League: uma relação complicada

Em possível retorno do campeonato inglês, a continuidade do VAR foi posta em cheque.

Por Péricles Bassols

O árbitro não ir na área de revisão foi a maior burla inglesa ao protocolo na temorada 19/20(Goal.com)

O árbitro não ir na área de revisão foi a maior burla inglesa ao protocolo na temorada 19/20 | Goal.com

É provável que o VAR retorne para o restante do campeonato inglês, mas o fato é que se cogitou terminar sem ele - o que seria péssimo para a isonomia do campeonato - bem como ficaram de avaliar se continuam com a ferramenta de vídeo para a próxima temporada, apesar de o CEO da principal liga inglesa, Richard Masters, se manifestar a favor da continuidade.
Tudo isso porque a IFAB, na sua última reunião (quando alterou as regras para a temporada 20/21) deixou um recado claro sobre as revisões a beira do campo para a Premier League, já que durante 19/20 os ingleses conduziram o protocolo do VAR a sua maneira. 
A transgressão que mais gerou desconforto no mundo da arbitragem e que foi "alvo" do conselho foi o fato de o árbitro de campo não ir a ARA (área de revisão) para rever lances interpretativos, acatando decisão direta do árbitro de vídeo. Na verdade, isso apenas é permitido para lances claros como, por exemplo, um pênalti dentro ou fora...isso sim é factual! E, neste caso, o oficial da cabine pode dizer diretamente ao de campo: " foi dentro" ou "foi fora" e confirmar ou alterar a decisão de campo sem necessidade de ida à ARA.
A justificativa era agilizar e não paralisar tanto o jogo como se viu em muitos lugares , inclusive aqui no Brasil, mas, de qualquer forma, não é assim que as mudanças de normas devem ser propostas. 
Existe uma hierarquia na condução e nas alterações das regras. Fazê-lo quebrando esta ordem pode abrir precedentes muito ruins para um esporte que tem mais países reconhecidos e filiados a sua instituição máxima que a própria ONU. Imagina se cada um resolver fazer do seu jeito?!
Espero que o "conselho" dado pela BOARD seja seguido e o VAR continue forte na Inglaterra... e sem aquele climão  de fog londrino.

Comentários