Blogs

VSRanking Escrito: A Bola de Ouro que não será entregue

Aproveitando o anúncio de que não teremos Bola de Ouro em 2020, resolvi fazer um VSRanking Escrito de como ficaria o prêmio se o prêmio fosse entregue agora

Lewandowski aparecia como um dos maiores favoritos à Bola de Ouro

Lewandowski aparecia como um dos maiores favoritos à Bola de Ouro

A revista France Football, idealizadora e organizadora do prêmio Bola de Ouro, anunciou nesta segunda-feira que não entregará o prémio em 2020, por causa da pandemia de Coronavírus. Segundo a publicação, as adaptações necessárias para a conclusão da temporada do futebol (onde pôde ser concluída...) farão com que a premiação tenha circunstâncias muito diferentes e, por isso, poderia não ser muito justa ou arranhar a credibilidade da Bola de Ouro.

Aproveitando o anúncio, resolvi fazer um VSRanking Escrito de como seria a colocação da Bola de Ouro considerando a temporada (apesar de pelas regras o prêmio ser só do ano, o que os jogadores fazem na temporada é considerado extraoficialmente) até aqui:

10 Kimmich – Termômetro do Bayern campeão alemão, marcando, passando, criando e fazendo gols. Virou um jogador completo sob o comando do técnico Flick.

9 Sergio Ramos – Uma temporada impactante do símbolo do Real Madrid. A segurança e a parceria muito bem sucedida com Varane atrás e ainda decidindo com gols de cabeça na frente e assumindo de forma perfeita responsabilidade de cobrar os pênaltis.

8 Mané – Uma primeira metade espetacular, era o maior destaque individual de um Liverpool que assustou pelo domínio na temporada. Talvez, pelo desgaste, caiu de produção a partir do meio de janeiro.

7 Neymar – Sempre que esteve em campo jogou muito bem, com incríveis 18 gols e 10 assistências em apenas 22 jogos, atrapalhado por lesões e suspensões. Os números seriam melhores se não fosse o encerramento precoce do Campeonato Francês.

6 Karim Benzema – O cara do título espanhol do Real Madrid, aparecendo em momentos importantes e esbanjando técnica e habilidade e servindo de referência para os jovens da equipe, tem até aqui 26 gols e 11 assistências.

5 Mbappe – Num PSG que sofreu com lesões do meio para frente, acumulou boas atuações e excelentes números até a pandemia paralisar a temporada: 30 gols e 17 assistências em 33 partidas.

4 Cristiano Ronaldo – Começou a temporada sem jogar bem, mas engrenou a partir de outubro  e chegou a estabelecer o recorde de gols em jogos seguidos no Italiano. Na volta da paralisação, o mesmo cenário, começou devagar, mas acumula nove gols e duas assistências nos últimos oito jogos.

3 Lionel Messi – Uma temporada sem títulos até aqui, mas que Messi mostrou muito individualmente. Continuou sendo o gerador de todo o jogo do Barcelona, criando para os companheiros e marcando muitos gols. São 30 gols e 25 assistências em 42 jogos. O primeiro a fazer um 20/20 no Espanhol.

2 Kevin De Bruyne – Uma temporada em que DE Bruyne mostrou todo o seu talento e a capacidade de influenciar no jogo. Um grande nível de atuação, com 13 gols e 20 assistências, ainda mais espantoso por se sobressair em um City que foi instável o tempo todo.

1 Robert Lewandowski – O auge da carreira do polonês, continuando uma máquina goleadora (52 gols) e conseguindo trabalhar muito bem outros aspectos do jogo, abrindo espaços, dando passes e sequência às jogadas do Bayern. Se o prêmio fosse entregue hoje, era do polonês!

Comentários