Brasileirão

Médicos concedem coletiva e negam alto índice de lesões no Grêmio em 2019

Eles ainda comentaram as situações de alguns atletas machucados e afirmaram que esperam contar com Jean Pyerre antes do final da temporada

Avatar del

Por Redação do Esporte Interativo

Paulo Rabaldo, Saul Berdichevski e Marcio Dornelles concederam coletiva no Grêmio(Agência RBS)

Paulo Rabaldo, Saul Berdichevski e Marcio Dornelles concederam coletiva no Grêmio | Agência RBS

Os médicos do Grêmio tiveram que vir a público para explicar os constantes casos de lesão que o elenco vem sofrendo, não só em 2019, como ao longo dos últimos dois anos. Lado a lado, Paulo Rabaldo, Saul Berdichevski e Marcio Dornelles discordaram de que o clube tem um alto índice de contusões e, para corroborar a tese, traçaram um comparativo com o ano de 2018. 

"Tivemos em 2019 25 lesões. Contra 55 no ano passado. Diminuímos mais de 50%. Ainda faltam 40 dias para acabar o ano. Estamos no sentido disso, mas é normal ocorrer lesões . Ainda tivemos lesões de complexidade alta, como o Marcelo Oliveira, Leonardo, Vizeu, que são de de difíceis resoluções. O Grêmio foi um time que mais participou, chegamos em novembro praticamente três competições de alta performance, de jogos intensos".

Quer ganhar um vale-presente de R$100,00 para comprar qualquer produto na Americanas.com? Clique aqui e baixe agora o Fanáticos. É grátis!

O departamento médico gremista vem sendo bastante questionado, principalmente pela torcida, que reclama que o Tricolor poupa de forma sistemática seus atletas e mesmo assim sofre com mais lesões que os adversários. As reclamações aumentaram ainda mais depois da semifinal da Libertadores, quando o Flamengo recuperou todos seus lesionados em curto prazo, enquanto o Imortal não conseguiu deixar Jean Pyerre ponto para a decisão, mesmo estando há muito mais tempo fora que os flamenguistas Filipe Luís, Rafinha e Arrascaeta.

"Trabalhamos para recuperar ele a tempo de voltar contra o Flamengo. Não divulgamos o período de recuperação, porém internamente, tínhamos um prazo e ele ainda está dentro desse período. Não divulgamos porque às vezes o próprio atleta não deseja, a opinião deles é muito importante até por uma questão ética. Trabalhamos para que ele retorne o mais breve possível e esperamos que seja esse ano. Sobre a ida a Fortaleza e Rio de Janeiro, ocorreu porque os equipamentos estariam conosco. Não faria diferença ele trabalhar aqui ou lá. E por se tratar de um jogo importante, tomamos essa decisão". 

O último caso de lesão na equipe de Renato Portaluppi foi na vitória sobre o Vasco, em São Januário. O meia Thaciano foi substituído ainda no primeiro tempo por um problema muscular na posterior da coxa esquerda. Além dele, ainda estão no DM do clube, Marcelo Oliveira, Leonardo Gomes, o próprio Jean Pyerre, Luan e Julio César. 

Comentários