Brasileirão

TROCA-TROCA: treinadores demitidos ou que deixaram o cargo neste Brasileirão

Desde a primeira rodada do Campeonato Brasileiro, aconteceram 15 mudanças no comando das equipes; na mais recente, Eduardo Barroca deixou o Botafogo após a quarta derrota consecutiva; veja a lista completa abaixo:

1/17
O primeiro: Abel Braga deixou o comando do Flamengo em 29 de maio. À frente do Rubro-Negro, neste Brasileirão, foram seis jogos, com três vitórias, um empate e duas derrotas. Para o seu lugar, o português Jorge Jesus foi o escolhido. | Foto: Divulgação / Flamengo

O primeiro: Abel Braga deixou o comando do Flamengo em 29 de maio. À frente do Rubro-Negro, neste Brasileirão, foram seis jogos, com três vitórias, um empate e duas derrotas. Para o seu lugar, o português Jorge Jesus foi o escolhido. | Foto: Divulgação / Flamengo

Geninho deixou o comando do Avaí em 17 de junho. No comando do time catarinense, neste Brasileirão, foram nove jogos, com quatro empates e cinco derrotas. Para o seu lugar, Alberto Valentim foi o escolhido. | Foto: André Palma Ribeiro / Avaí FC

Geninho deixou o comando do Avaí em 17 de junho. No comando do time catarinense, neste Brasileirão, foram nove jogos, com quatro empates e cinco derrotas. Para o seu lugar, Alberto Valentim foi o escolhido. | Foto: André Palma Ribeiro / Avaí FC

Marcelo Cabo deixou o CSA em 30 de junho. No comando da equipe alagoana, neste Brasileirão, foram nove jogos, com uma vitória, três empates e cinco derrotas. Para o seu lugar, Argel Fucks foi o escolhido. | Foto: Thiago Parmalat/RCortez/CSA

Marcelo Cabo deixou o CSA em 30 de junho. No comando da equipe alagoana, neste Brasileirão, foram nove jogos, com uma vitória, três empates e cinco derrotas. Para o seu lugar, Argel Fucks foi o escolhido. | Foto: Thiago Parmalat/RCortez/CSA

Ney Franco deixou o comando da Chape em 24 de julho. No comando da equipe, neste Brasileirão, foram 11 jogos, com duas vitórias, dois empates e sete derrotas. Para o seu lugar, Marquinhos Santos foi o escolhido. | Foto: Matheus Sebenello/AGIF

Ney Franco deixou o comando da Chape em 24 de julho. No comando da equipe, neste Brasileirão, foram 11 jogos, com duas vitórias, dois empates e sete derrotas. Para o seu lugar, Marquinhos Santos foi o escolhido. | Foto: Matheus Sebenello/AGIF

Claudinei Oliveira foi demitido do Goiás em 4 de agosto. No comando do Esmeraldino, neste Brasileirão, foram 12 jogos, com cinco vitórias, dois empates e cinco derrotas. Para o seu lugar, Ney Franco foi o escolhido. | Foto: Rosiron Rodrigues/Goiás EC

Claudinei Oliveira foi demitido do Goiás em 4 de agosto. No comando do Esmeraldino, neste Brasileirão, foram 12 jogos, com cinco vitórias, dois empates e cinco derrotas. Para o seu lugar, Ney Franco foi o escolhido. | Foto: Rosiron Rodrigues/Goiás EC

Mano Menezes deixou o comando do Cruzeiro em 8 de agosto. No comando do time mineiro, foram 13 jogos, com duas vitórias, quatro empates e sete derrotas. Para o seu lugar, Rogério Ceni foi o escolhido. | Foto: Divulgação / Cruzeiro

Mano Menezes deixou o comando do Cruzeiro em 8 de agosto. No comando do time mineiro, foram 13 jogos, com duas vitórias, quatro empates e sete derrotas. Para o seu lugar, Rogério Ceni foi o escolhido. | Foto: Divulgação / Cruzeiro

Em 11 de agosto, Rogério Ceni trocou o Fortaleza pelo Cruzeiro. No Leão, foram 13 jogos, com quatro vitórias, dois empates e sete derrotas. Para o seu lugar, Zé Ricardo foi o escolhido. | Foto: Leonardo Moreira/ Fortaleza EC

Em 11 de agosto, Rogério Ceni trocou o Fortaleza pelo Cruzeiro. No Leão, foram 13 jogos, com quatro vitórias, dois empates e sete derrotas. Para o seu lugar, Zé Ricardo foi o escolhido. | Foto: Leonardo Moreira/ Fortaleza EC

Fernando Diniz deixou o cargo no Fluminense em 19 de agosto. No comando do Tricolor carioca, neste Brasileirão, foram 15 jogos, com três vitórias, três empates e nove derrotas. Para o seu lugar, Oswaldo de Oliveira foi o escolhido. | Foto: Lucas Merçon/Fluminense

Fernando Diniz deixou o cargo no Fluminense em 19 de agosto. No comando do Tricolor carioca, neste Brasileirão, foram 15 jogos, com três vitórias, três empates e nove derrotas. Para o seu lugar, Oswaldo de Oliveira foi o escolhido. | Foto: Lucas Merçon/Fluminense

Felipão deixou o comando do Palmeiras em 2 de setembro. No Verdão, neste Brasileirão, foram 16 jogos, com oito vitórias, seis empates e duas derrotas. Para o seu lugar, Mano Menezes foi o escolhido. | Foto: Cesar Greco/Agência Palmeiras

Felipão deixou o comando do Palmeiras em 2 de setembro. No Verdão, neste Brasileirão, foram 16 jogos, com oito vitórias, seis empates e duas derrotas. Para o seu lugar, Mano Menezes foi o escolhido. | Foto: Cesar Greco/Agência Palmeiras

Cuca deixou o comando do São Paulo em 26 de setembro. No Tricolor paulista, neste Brasileirão, foram 21 jogos, com nove vitórias, oito empates e quatro derrotas | Foto: Rubens Chiri / São Paulo

Cuca deixou o comando do São Paulo em 26 de setembro. No Tricolor paulista, neste Brasileirão, foram 21 jogos, com nove vitórias, oito empates e quatro derrotas | Foto: Rubens Chiri / São Paulo

Rogério Ceni, depois de trocar o Fortaleza pelo Cruzeiro, deixou o comando do time mineiro em 26 de setembro. À frente da raposa, neste Brasileirão, foram sete jogos, com duas vitórias, dois empates e três derrotas. Para o seu lugar, Abel Braga foi o escolhido. | Foto: Vinnicius Silva / Cruzeiro(Vinnicius Silva/Cruzeiro)

Rogério Ceni, depois de trocar o Fortaleza pelo Cruzeiro, deixou o comando do time mineiro em 26 de setembro. À frente da raposa, neste Brasileirão, foram sete jogos, com duas vitórias, dois empates e três derrotas. Para o seu lugar, Abel Braga foi o escolhido. | Foto: Vinnicius Silva / Cruzeiro | Vinnicius Silva/Cruzeiro

Zé Ricardo deixou o comando do Fortaleza em 27 de setembro. À frente do Leão, Zé Ricardo fez sete jogos, com uma vitória, dois empates e quatro derrotas. Para o seu lugar, Rogério Ceni foi o escolhido. | Foto: Fábio Lima / Fortaleza

Zé Ricardo deixou o comando do Fortaleza em 27 de setembro. À frente do Leão, Zé Ricardo fez sete jogos, com uma vitória, dois empates e quatro derrotas. Para o seu lugar, Rogério Ceni foi o escolhido. | Foto: Fábio Lima / Fortaleza

Oswaldo deixou o comando do Fluminense em 27 de setembro. À frente do Tricolor carioca, foram seis jogos, com duas vitórias, um empate e três derrotas. Marcão, então auxiliar técnico do clube, foi efetivado no cargo. | Foto: Lucas Merçon / Fluminense

Oswaldo deixou o comando do Fluminense em 27 de setembro. À frente do Tricolor carioca, foram seis jogos, com duas vitórias, um empate e três derrotas. Marcão, então auxiliar técnico do clube, foi efetivado no cargo. | Foto: Lucas Merçon / Fluminense

Em 1º de outubro, Enderson Moreira deixou o comando do Ceará. À frente do Vozão, foram 22 jogos, com seis vitórias, cinco empates e 11 derrotas. Adilson Batista foi escolhido para o seu lugar.  | Foto: Israel Simonton/ Ceará

Em 1º de outubro, Enderson Moreira deixou o comando do Ceará. À frente do Vozão, foram 22 jogos, com seis vitórias, cinco empates e 11 derrotas. Adilson Batista foi escolhido para o seu lugar. | Foto: Israel Simonton/ Ceará

Em 6 de outubro, Eduardo Barroca deixou o comando do Botafogo. À frente do Alvinegro, foram 27 jogos, com dez vitórias, três empates e 14 derrotas. Até o momento, o clube não anunciou o substituto.  | Foto: Vítor Silva/Botafogo

Em 6 de outubro, Eduardo Barroca deixou o comando do Botafogo. À frente do Alvinegro, foram 27 jogos, com dez vitórias, três empates e 14 derrotas. Até o momento, o clube não anunciou o substituto. | Foto: Vítor Silva/Botafogo

No dia 10 de outubro, Odair Hellmann foi demitido do comando do Internacional em um ano onde foi vice do Gauchão e da Copa do Brasil(2019 Getty Images, Getty Images South America)

No dia 10 de outubro, Odair Hellmann foi demitido do comando do Internacional em um ano onde foi vice do Gauchão e da Copa do Brasil | 2019 Getty Images, Getty Images South America

No dia 11 de outubro, Alberto Valentim deixou o comando do Avaí para acertar com o Botafogo(Guilherme Hahn/AGIF)

No dia 11 de outubro, Alberto Valentim deixou o comando do Avaí para acertar com o Botafogo | Guilherme Hahn/AGIF