Futebol Brasileiro

Atletas falam em 'covardia' e 'abandono' após saída do Botafogo da Superliga

Clube desistiu de participar da competição mais importante do vôlei brasileiro por falta de verbas

Avatar del

Por Redação do Esporte Interativo

Lorena era um dos pilares do projeto do voleibol do Botafogo(Gisa Alves / Superliga B)

Lorena era um dos pilares do projeto do voleibol do Botafogo | Gisa Alves / Superliga B

Não é só no futebol que o momento do Botafogo anda conturbado. Na última semana, o Alvinegro desistiu de participar da elite do voleibol nacional, abrindo mão de disputar a Superliga Masculina por falta de verbas e desativando seu projeto no esporte. Nas redes sociais, os agora ex-atletas do clube não pouparam críticas aos dirigentes envolvidos no processo, alegando covardia e abandono.

Um dos símbolos do vôlei do Glorioso na caminhada de volta à elite, Lorena foi um dos que mais criticaram a diretoria botafoguense. O oposto de 41 anos fez parte da campanha campeã de Superliga B e era visto como principal protagonista da equipe para o torneio, que vai ter início no próximo sábado (09).

"Eles se reuniram com a gente. O Vice-Presidente (Alexandre Brito, vice-presidente de Esportes Gerais) disse: “ligamos para a CBV, se não jogarmos a Superliga, só vamos ser suspensos só por um ano”. É a maior covardia que eu vi na minha vida. E no próximo ano voltam, como se nada tivesse acontecido. E a CBV, que tinha de proteger, com uma palhaçada dessas, dá um ano de punição. Quatro meses sem pagar jogador e quem se ferra somos nós, é uma bagunça. O clube nunca mais poderia jogar vôlei", disse, em entrevista ao 'Globo Esporte'. 

Ele ainda revelou que os jogadores tentaram fazer com que desistissem da ideia de abandonar o projeto e o Botafogo poder atuar normalmente na Superliga. Lorena também contou que os funcionários da instituição já estão há três meses sem receber salários.

Quer ganhar um vale-presente de R$100,00 para comprar qualquer produto na Americanas.com? Clique aqui e baixe agora o Fanáticos. É grátis!

"Viramos para o presidente, para o vice, para o diretor, pedimos para que deixassem a gente jogar. Cara, já estamos aqui. Alguma coisa iria aparecer. Tem R$ 4,8 milhões aprovados de incentivo, essas coisas demoram. O dinheiro uma hora iria entrar, pedimos para não prejudicar o Botafogo. Funcionários estão há três meses sem receber".

 
Outro que soltou o verbo foi Riad, central experiente, com passagens por tradicionais times do Brasil e também pela seleção brasileira. Em seu Facebook, o profissional chamou os diretores alvinegros de irresponsáveis e incompetentes, e disse que os mesmos não merecem estar no Botafogo. 
 
 
"Neste sábado, dia 09/11/2019, deveria ser a nossa estréia na Superliga. Mas, infelizmente, isso não acontecerá. Este ginásio que é uma das maiores testemunhas de um trabalho de 5 anos de luta e de muito suor para chegar ao maior campeonato de voleibol do nosso país, estará assim. Vazio e com as luzes apagadas. Sem a presença dos milhares de torcedores apaixonados pelo Botafogo que durante todos esses anos, lutaram juntos com os jagodores e comissão técnica que aqui passaram para que esse sonho pudesse se tornar realidade. Mas não será possível. Chegou ao fim. Chegou ao fim por culpa do presidente e dos diretores irresponsáveis e incompetentes que destruíram o nosso sonho. Vcs não merecem estar no Botafogo! O que vcs fizeram com a gente foi uma covardia! Foi desumano! Espero que vocês saiam do Botafogo o mais rápido possível e não voltem nunca mais! Para o bem do clube, do vôlei e todo esporte nacional! Fica aqui a minha indignação e tristeza! Mas fica também o meu agradecimento a todos os jogadores e comissão técnica que durante esses quatro meses sem receber, se dedicaram todos os dias, honraram e respeitaram muito a camisa, as cores e a estrela deste grande clube! Acreditando no sucesso dessa equipe e desse grupo fantástico! A vocês, todo meu respeito, minha admiração e meu muito obrigado".
 
 
 
Comentários