Futebol Brasileiro

Através de carta, Sampaoli se manifesta sobre saída do Santos

Treinador disse na carta que sua saída pode ser um "até logo" e revela que saiu por que algumas "circunstâncias estruturais não me permitiriam sentir com comodidade"

Avatar del

Por Redação do Esporte Interativo

Sampaoli comandou o Santos em 64 partidas em 2019(Fernanda Luz/AGIF)

Sampaoli comandou o Santos em 64 partidas em 2019 | Fernanda Luz/AGIF

O técnico Jorge Sampaoli se manifestou nesta quarta-feira (11) a respeito de sua saída do Santos. Através de uma carta, o argentino revelou o motivo que o levou a deixar o Peixe e evitou fechar as portas para um possível retorno ao Santos no futuro.

O próximo ano será muito difícil para o Santos. Jogará o Paulista, o Brasileirão, a Copa do Brasil e a Libertadores. Penso, com chance de me equivocar, que algumas circunstâncias estruturais não me permitiriam sentir com comodidade. (...) Talvez, isso seja simplesmente um até logo e a vida nos permita um reencontro".

A saída do treinador deve ser assunto nos tribunais. O Peixe quer que o treinador pague a multa rescisória por quebrar o contrato antes do término. A Justiça do Trabalho deve apurar o caso.

Sabe tudo de futebol e quer provar que é um dos maiores torcedores do seu time? Clique aqui e baixe agora o Fanáticos! É grátis!

No comando do Santos, Sampaoli conquistou 35 vitórias, 14 empates e 15 derrotas em 64 jogos oficiais. O treinador levou o Peixe à sua melhor campanha no Brasileirão com 20 times, conquistando 74 pontos nesta edição.

Confira na íntegra a carta de Sampaoli:

O Santos foi uma das minhas casas mais lindas.

Um lugar que me permitiu voltar a crer nos sonhos, no jogo e na alegria dentro do futebol. Todas estas coisas sinto que são, para mim, uma enorme conquista porque a exigência e o imediatismo deste esporte nem sempre nos permite ser felizes. Em um mundo que nos trata como objetos, me senti humano e isso foi um privilégio maravilhoso. Sinto que é um momento na história no qual desfrutar o presente não é simples. Prefiro não arranhá-lo. O próximo ano será muito difícil para o Santos. Jogará o Paulista, o Brasileirão, a Copa do Brasil e a Libertadores. Penso, com chance de me equivocar, que algumas circunstâncias estruturais não me permitiriam sentir com comodidade.

Quero agradecer aos jogadores. Em um torneio com um calendário esgotante, mostraram uma fidelidade à ideia impressionante. Nunca renunciaram às convicções pelo jogo e foram a qualquer estádio do Brasil para mostrar quem somos e quanto amor sentimos pela bola.

Quero agradecer aos trabalhadores e às trabalhadoras do CT Rei Pelé. São a alma do clube. Aqueles que em silêncio constroem e defendem uma instituição gloriosa.

Quero agradecer aos meninos do CT. Foram meus amigos mais legais e os levarei na minha memória para sempre.

Porém, sobretudo, quero agradecer à cidade. Santos é um lugar maravilhoso. Trataram-nos como se estivéssemos vivido toda a vida aqui. Ficará para sempre, também, que aqui nasceu meu terceiro filho, León.

Talvez, isso seja simplesmente um até logo e a vida nos permita um reencontro. As despedidas são essas dores doces.

Muito obrigado, de coração. Eu os levarei na alma, para sempre.

Jorge Sampaoli

Comentários