Futebol Brasileiro

Braz nega desconforto por demissão de Pelaipe e confirma proposta por Michael

Vice-presidente de futebol do Flamengo conversou com jornalistas um dia após polêmica demissão dentro do clube

Avatar del

Por Redação do Esporte Interativo

Marcos Braz negou que tenha se sentido enfraquecido por não ter tido conhecimento da demissão de Pelaipe(Alexandre Vidal / Flamengo)

Marcos Braz negou que tenha se sentido enfraquecido por não ter tido conhecimento da demissão de Pelaipe | Alexandre Vidal / Flamengo

A terça-feira (07) foi de aparar arestas no Flamengo. Um dia depois da polêmica demissão do gerente de futebol Paulo Pelaipe, Marcos Braz, vice-presidente de futebol, falou com a imprensa e negou os boatos que davam conta de enfraquecimento nos bastidores e um incômodo da sua parte com a situação - e até com uma possível saída do clube.

Não tenho nenhum desconforto

"Não fomos comunicados da não renovação. Pedimos a renovação em dezembro. Mas não foi possível. Simples. Tinha uma relação muito boa com o Pelaipe. Não vou atribuir a A, B, C. Não vou falar nomes. Minha relação com o presidente é boa.  Eu queria isso? Não. Tanto que eu e o Bruno solicitamos a renovação do Pelaipe. Eu não me sinto enfraquecido. O meu cargo aqui também é estabelecer a confiança e a tranquilidade para o futebol profissional do Flamengo para 2020".

Sabe tudo de futebol e quer provar que é um dos maiores torcedores do seu time? Clique aqui e baixe agora o Fanáticos! É grátis!

Veja outros trechos imporantes da coletiva de Marcos Braz:

MICHAEL 

"A gente precisa qualificar o elenco por inteiro. Michael é bom jogador (após confirmar que tem proposta por ele). Não (a negociação não está avançada)".

GABIGOL

"O Gabriel, ano passado, tivemos definição em janeiro. Se o Flamengo esperou um tempinho a mais lá atrás, quando não tinha resultados que conquistou, por que não teremos paciência agora? Ele está no tempo dele, a gente tem o nosso. Estamos atentos no mercado".

CRÍTICA DE JESUS À VENDA DE REINIER

"Quando trouxemos o Jorge, acreditávamos no trabalho dele. Mas na parte financeira não preciso dele para fazer essa análise. Ele tem a análise dele, que eu não vou discutir".

Comentários