Futebol Brasileiro

Cinco tabus que o trabalho de Fernando Diniz vem quebrando no São Paulo

Após mais de um ano no comando do São Paulo, Fernando Diniz começa a ganhar apoio do torcedor tricolor

Avatar del

Por Priscila Senhorães e Ricardo Siqueira

São Paulo eliminou o Flamengo na Copa do Brasil(Marcello Zambrana/AGIF)

São Paulo eliminou o Flamengo na Copa do Brasil | Marcello Zambrana/AGIF

Os holofotes do futebol brasileiro passam a se curvar ao São Paulo de Fernando Diniz. Após muitas críticas, pressão por demissão e resultados negativos, o treinador começa a proporcionar ao torcedor orgulho de seu time.

Nos últimos oito anos sem levantar uma taça por competições oficiais, o Tricolor investiu em diversos treinadores e elencos recheados. A cultura da demissão por imediatismo de resultados era rotina no São Paulo, que interrompia trabalhos por eliminações.

Em 2019 a história foi diferente. Após três meses com Fernando Diniz no comando do elenco e sem levantar uma taça, Raí e sua diretoria escolheram outro caminho: a permanência do treinador e a inalteração do elenco são-paulino. 

Em 2020, o roteiro não parecia agradável: Eliminação no Campeonato Paulista, na Copa Libertadores e na Copa Sul-Americana. Raí, pressionado, manteve sua palavra e seguiu na contramão do futebol brasileiro, dando continuidade ao treinador e evitando mudanças na lista de jogadores.

Pouco menos de um mês depois, o São Paulo ocupa a terceira colocação na tabela de classificação do Campeonato Brasileiro, com dois pontos a menos que o líder Atlético Mineiro, mas com três jogos a menos disputados também. Além disso, eliminou o Flamengo nas quartas de final da Copa do Brasil com folga, agregando um placar de 5 a 1. Aos poucos, a equipe são-paulina começa a se moldar como uma das candidatas aos dois títulos que ainda disputa, e Fernando Diniz vai dando o que falar no Brasil.

Confira cinco tabus que Fernando Diniz vem quebrando em seu trabalho no Tricolor paulista:

1- Aproveitamento negativo em pontos corridos

Em suas passagens por Fluminense e Athletico Paranaense, ambas as equipes de nível de Série A, Fernando Diniz acumulou péssimos aproveitamentos pelo Campeonato Brasileiro, no formato de pontos corridos. Ele somava apenas 25,8% de rendimento na competição. 

O fato fez com que a chegada de Diniz ao Tricolor, em setembro de 2019, fosse altamente contestada pela imprensa e pelo torcedor. No entanto, mais de um ano depois, Fernando Diniz tem o melhor aproveitamento da Série A de 2020, com uma probabilidade de 60,3% do ser campeão, contra 12,3% do segundo colocado, o Atlético Mineiro. Os dados são do site 'Chance de Gol'.

No total, entre 2019 e 2020, o aproveitamento do técnico do Brasileirão pelo São Paulo é de 59,8%.

2- Efetividade no sistema ofensivo

A maior característica do jogo de Fernando Diniz é a posse de bola, independentemente de jogar bonito ou não. Para o treinador, quanto mais você mantém o domínio do jogo, mais próximo você está da vitória. Apesar da exposição que o Tricolor sofre com seu sistema de jogo, o sistema ofensivo vem colhendo muitos frutos do trabalho do técnico.

Até agora, o São Paulo jtem melhor aproveitamento em gols do que nas últimas duas temporadas completas, 2018 e 2019. Em 2020, já são 80 gols marcados em 43 jogos. Em 2019, o Tricolor marcou 59 gols em 62 partidas. Já no ano anterior, foram 74 bolas nas redes em 64 oportunidades. 

3- Aproveitamento em clássicos

Diniz deu ao seu torcedor uma sensação que não sentia há tempos: vencer clássicos com imposição e, inclusive, fora de casa. Desde que chegou ao São Paulo, Diniz perdeu apenas uma partida, sendo essa para o Palmeiras no Allianz Parque, ainda em 2019. Apesar disso, no total, o técnico comandou a equipe em nove oportunidades, vencendo quatro e empatando as outras quatro.

Uma das vitórias, inclusive, marcou o fim do tabu do São Paulo no Allianz Parque, que nunca tinha vencido o rival dentro de sua nova casa. Com Diniz, o Tricolor visitou o Palmeiras pelo Brasileirão 2020 e venceu com autoridade pelo placar de 2 a 0.

4- Permanência após três eliminações vexatóriasPermanência após três eliminações vexatórias

Diniz também quebrou o tabu da demissão imediata. O treinador fez parte de uma rara atitude são-paulina em manter sua fidelidade e sua convicção no planejamento realizado quando contratou Fernando Diniz mesmo após três eliminações em 2020. A pressão pela demissão do técnico por parte da torcida e da imprensa foi enorme.

O São Paulo, no entanto, não cedeu. Se reuniu com Diniz e, na base da confiança, deu continuidade ao treinador. Aos poucos, o time do Morumbi vem melhorando seu sistema de jogo, fiel às ideias de Diniz, e ajustando tecnicamente todos os setores.

Os resultados estão vindo aos poucos. Independentemente de título, a trajetória não pode ser esquecida. O Tricolor eliminou o Flamengo na Copa do Brasil e está invicto há 11 jogos no Brasileirão. 

5- Defesa consistente nos pontos corridos

Fernando Diniz e seu time possuem a melhor defesa do Campeonato Brasileiro, com 17 gols sofridos em 18 partidas. Apesar do alto número de bolas nas redes de Tiago Volpi em torneios mata mata, o São Paulo não vem dando chance para o adversário na competição nacional. 

Com o rendimento do sistema, as vitórias do time Tricolor passam a vir com maior facilidade, juntando ao fato do ataque avassalador, com Luciano e Brenner decidindo quase todas as partidas. 

O próximo desafio do São Paulo é pelo Campeonato Brasileiro neste domingo (22), quando enfrenta o Vasco, no Morumbi, às 16h (de Brasília).

Comentários