Futebol Brasileiro

Com vencimentos atrasados e alguns desempregados, jogadores do Juventus topam receber salário mínimo

Em entrevista exclusiva ao Esporte Interativo, o zagueiro Diego Sacoman, ex-Corinthians e hoje pilar do time da Mooca, contou sobre ofício enviado pelos atletas à diretoria do Moleque Travesso

Avatar del

Por Leonardo Ferreira

Juventus está com dois meses de salários atrasados e já possui jogadores desempregados(Divulgação/Juventus)

Juventus está com dois meses de salários atrasados e já possui jogadores desempregados | Divulgação/Juventus

Atualmente brigando por uma vaga na segunda fase do Campeonato Paulista da Série A2, o Juventus vive um momento financeiro delicado, principalmente após a paralisação por conta do novo coronavírus.

Pensando nisso, os jogadores do Moleque Travesso se uniram e enviaram um ofício à diretoria do tradicional clube paulista aceitando receber um salário mínimo até o final da disputa estadual - no Brasil, o valor é de R$ 1.045. A informação foi trazida primeiramente pela 'ESPN' e confirmada pelo Esporte Interativo.

O zagueiro Diego Sacoman, ex-Corinthians e um dos pilares do Juventus desde o ano passado, explicou a medida tomada pelos atletas e afirmou que ela ajudaria tanto ao clube quanto aos jogadores.

Sabe tudo de futebol e quer provar que é um dos maiores torcedores do seu time? Clique aqui e baixe agora o Fanáticos! É grátis!

"Foi um consenso, todos participaram, a gente se reuniu com a comissão, também. É uma oportunidade que temos, porque as coisas que estão por vir, até a economia voltar ao normal, é muito difícil. E partindo pelo lado do Juventus ser um clube pequeno, com renda pequena, patrocínio pequeno, nós estaríamos nos ajudando e ainda estaríamos empregados. Unimos o útil ao agradável", comentou, em entrevista exclusiva à reportagem do Esporte Interativo.

Além da dificuldade por conta da paralisação, o Juventus deve dois meses de salários aos seus atletas. Muitos dos jogadores já tiveram seu contrato expirado no final de abril, enquanto outros terminarão no começo de maio.

"O meu e de mais alguns que eu tenho mais contato terminam no dia 10, teve alguns que terminaram no dia 26, então já estão desempregados. Não é um valor alto para se jogar, ainda mais se tratando de futebol. Nós estaríamos dando um passo para trás, mas talvez a gente ganhe por estar jogando, por conquistar um acesso para o clube e, então, gerar receita", disse Sacoman.

Até o momento, porém, não houve nenhuma sinalização por parte da diretoria do Juventus. Os jogadores esperam até sexta-feira (01) para que o presidente do clube, Antonio Ruiz Gonsalez, se manifeste sobre o ofício.

"Estamos esperando, até porque a quarentena vai até o dia 10, tem muitos jogadores que estão desempregados agora, os clubes com essa situação ruim, dificilmente alguém está contratando. Ate mesmo quem tem calendário longo, e fez contrato de um ano, dificilmente vai trocar", afirmou o zagueiro.

"Eu, graças a Deus, estou conseguindo segurar as pontas, tive uma base boa, mas a gente sabe que tem jogadores que recebiam pouco, que sustentavam suas famílias, sua única fonte de renda era o salário. A gente acompanha no grupo do Juventus, às vezes os caras não se expõem, mas a gente acabou ajudando gente da comissão, dando uma força a eles", finalizou Sacoman.

Faltam três rodadas para a conclusão da segunda divisão paulista, e os dois melhores times, portanto os finalistas, subirão à elite estadual.

 
Comentários