Futebol Brasileiro

Comissão Nacional de Clubes apresenta propostas para jogadores durante pausa forçada

Surto do coronavírus obrigou times a paralisarem suas funções e causou estranheza entre Sindicato dos Atletas de São Paulo e Federação Nacional dos Atletas de Futebol Profissional

Avatar del

Por Raul Moura

Pausa forçada agita bastidores do futebol brasileiro(Fernando Moreno/AGIF)

Pausa forçada agita bastidores do futebol brasileiro | Fernando Moreno/AGIF

Os bastidores do futebol profissional seguem agitados, mesmo com a pausa forçada devido ao surto do novo coronavírus. Neste período, os clubes estão se movendo para conseguir sobreviver financeiramente durante a paralisação e, para isso, estão em negociação desde a última sexta-feira (20) com a Comissão Nacional de Clubes e a Federação Nacional dos Atletas de Futebol Profissional (Fenapaf).

Sabe tudo de futebol e quer provar que é um dos maiores torcedores do seu time? Clique aqui e baixe agora o Fanáticos! É grátis!

A negociação foca no lado trabalhista, visando proteger os direitos dos atletas. A Fenapaf acionou todos os sindicatos estaduais para falar sobre as propostas. No estado de São Paulo, porém, o Sindicato de Atletas Profissionais do Estado de São Paulo disse não saber de nenhuma negociação e que não participou de nenhuma reunião sobre, o que não é verdade, tendo em vista que é filiada à Fenapaf.

A Fenapaf considera a atitude do Sindicato de Atletas Profissionais do Estado de São Paulo omissa, já que em um momento tão importante da história do futebol, está pensando somente no lado financeiro da questão.

No momento, a Fenapaf está aguardando as respostas dos jogadores para saber se aceita ou não as propostas realizadas pela Comissão Nacional de Clubes. Caso os jogadores não aceitem, cabem a eles encaminhar outra proposta para negociação. Veja a seguir:

1- Proposta sobre férias - conceder imediatamente a todos os atletas o gozo de 30 (trinta) dias de férias coletivas com início em 23.03 e término em 21.04,  antecipando qualquer período de férias proporcionais que os atletas venham a adquirir durante o restante de 2020, em qualquer clube que venha a jogar ainda em 2020. Todavia apesar de antecipar para agora os 30 dias de gozo, o pagamento das férias seria diferido, sendo 50% do valor agora, a ser pago pelo atual empregador e os outros 50%, com o 1/3 integral, a ser pago até 31.12.2020.

Se o atleta trocar de clube antes de 31.12.2020, o novo clube ficará responsável pelo pagamento dos 50% restante, bem como de 50% do 1/3, cabendo ao Clube atual quando da rescisão pagar sua parte dos 50% do 1/3.

Dessa forma, haveria uma uniformização do calendário e o gozo de férias do atleta por determinado clube afastaria o direito ao gozo por eventual novo empregador, vez que todos os dias de férias de 2020 serão antecipados.

2- Férias de final de ano de 24/12 a 02/01/2021.

3- Após férias coletivas não sendo possível volta dos campeonatos, redução da remuneração (CLT e imagem) em 50% por 30 dias, com treinamento em casa.

4- Após 30 dias de redução da remuneração mantendo a impossibilidade de competir suspensão do contrato de trabalho até que se retorne as atividades, com a prorrogação dos contratos dos prazos dos contratos pelo período de suspensão.

5- parcelamento das rescisões em até 5 vezes.

* contratos que se encerrem neste período serão prorrogados até a data final dos estaduais.

Comentários