Futebol Brasileiro

Diretor do Corinthians vê momento complicado em meio à pandemia: 'Nosso calvário ainda está só no começo'

Em entrevista à 'Rádio Globo', o diretor de marketing do Corinthians, Caio Campos, comentou sobre o desafio de tentar angariar dinheiro em meio à pandemia do novo coronavírus

Avatar del

Por Redação do Esporte Interativo

Caio Campos é diretor de marketing do Corinthians(Arquivo pessoal)

Caio Campos é diretor de marketing do Corinthians | Arquivo pessoal

O Corinthians é apenas um dos inúmeros clubes no futebol brasileiro a se prejudicarem com a paralisação por conta do novo coronavírus. Diretor de marketing do time do Parque São Jorge, Caio Campos comentou sobre o momento atual e fez previsões pouco animadoras para o futuro do país.

"É um momento complicado, onde a gente tem que repensar, reestruturar e ter bastante paciência para poder entender o que vai acontecer. Não só no nosso mercado da bola, mas em todos os segmentos de comércio e que estão passando dificuldades. A gente não é diferente. Como a gente lida com entretenimento e com esporte, nosso calvário ainda está só no começo, não temos expectativa para as coisas voltarem. Vamos ter que ser criativos e trabalhar rápido para que isso passe logo", comentou, em entrevista à 'Rádio Globo'.

Recentemente, o diretor de futebol corintiano, Duílio Monteiro Alves, afirmou que alguns patrocinadores tiveram dificuldades para depositar o dinheiro ao caixa do clube. Campos, contudo, julgou isso como dentro da normalidade, por conta do período.

Sabe tudo de futebol e quer provar que é um dos maiores torcedores do seu time? Clique aqui e baixe agora o Fanáticos! É grátis!

"Os outros patrocinadores estão pagando, mas a gente tem que entender o momento como um todo. As conversas estão sendo individuais com os parceiros. A gente tem hoje, diretamente ligado ao futebol profissional, doze parceiros. Cada um de um segmento, de uma área. Uns estão sendo muito afetados, impactados com o momento. Isso reflete nos clubes, o Corinthians não é exceção", disse.

"Todo mundo que a gente vem conversando nos grupos de marketing e gestão de esporte estão sofrendo com esses problemas. A nossa atitude é sentar individualmente com todos os parceiros e entender até aonde a gente pode chegar para que o clube não seja tão prejudicado. As conversas estão sendo boas, dentro do cenário que a gente tem, mas duras e complexas", concluiu.

 
Felipe, do Botafogo-PB, fala sobre necessidade de ajuda da CBF aos clubes
Comentários