Futebol Brasileiro

EXCLUSIVO! Lima elogia Guto Ferreira e equipara clássico Grenal a Ceará x Fortaleza: 'A cidade para'

Aos 23 anos, meio-campista revelado pelo Grêmio está em sua segunda passagem pelo Vozão

Avatar del

Por Victor Lopes

Lima, em ação pelo Ceará, contra o Botafogo-PB(Pedro Chaves/AGIF)

Lima, em ação pelo Ceará, contra o Botafogo-PB | Pedro Chaves/AGIF

Lima está feliz da vida no Ceará. Aos 23 anos, o meio-campista natural do Rio Grande do Sul tanto foi bem em 2019 que acertou sua renovação de empréstimo com o Vozão junto ao Grêmio.

No ano passado, ele foi o autor de um dos melhores gols do último Campeonato Brasileiro, contra o Santos, de Jorge Sampaoli, na Vila Belmiro. Desde então, caiu nas graças da torcida alvinegra.

Em entrevista exclusiva ao Esporte Interativo, Lima comentou sobre as semelhanças de se jogar um clássico cearense pelo Ceará e o Grenal, pelo Grêmio, time em que foi revelado. Em sua visão, a grande diferença está no apelo da mídia nacional em relação a ambos.

Sabe tudo de futebol e quer provar que é um dos maiores torcedores do seu time? Clique aqui e baixe agora o Fanáticos! É grátis!

"Já joguei esses dois clássicos, dois grandes jogos, de altíssimo nível e realmente a cidade para, né. A questão da diferença, a torcida aqui no Ceará tem a tendência em fazer os mosaicos, fazer toda aquela provocação com os mosaicos, e no Brasil vemos que o Grenal tem uma força muito grande pela repercussão nacional", comentou.

"Talvez, pelo fato do clássico Ceará x Fortaleza estar fora do eixo, não pese tanto para a mídia, mas para nós jogadores é maravilhoso entrar em campo nesse clássico, é um jogo especial", enfatizou.

Lima ainda aproveitou para elogiar Guto Ferreira. O ex-treinador de Ponte Preta, Internacional, Bahia, Sport, entre outros, será o técnico do Vozão assim que os campeonatos retornarem da paralisação imposta por conta da pandemia do novo coronavírus.

"Particularmente, nunca trabalhei com o Guto Ferreira, mas estava fazendo um grande trabalho no Sport e já dirigiu grandes clubes no futebol brasileiro. Ele chega com uma experiência muito grande para poder nos ajudar no restante da temporada", opinou.

Veja, na íntegra, a entrevista exclusiva com Lima:

Esporte Interativo: Como que está sendo o seu dia a dia com a paralisação dos campeonatos e dos treinamentos? Está treinando em casa? Fazendo algo que não fazia e passou a fazer? O que faz para passar o tempo?


Lima: Eu e minha família estamos só ficando em casa, seguindo as recomendações e uma vez ou outra que precisa ir ao mercado comprar alguma coisa, mas só em casa mesmo para evitar qualquer problema. Sem as viagens e treinos, estou aproveitando muito meu filho, minha família, fico brincando com ele...

EI: Quais foram as orientações do clube com relação à prevenção do novo coronavírus?
 

L: As orientações que o clube pediu foram para ficarmos em casa, fazendo exercícios e cuidando da alimentação. O departamento médico do clube nos monitora constantemente e de forma muito profissional para voltarmos o melhor possível. Claro que todo jogador gosta e quer jogar, não é diferente agora, mas entendemos toda situação e sabemos que o melhor para nossa saúde e dos outros e este isolamento social.

Lima fez um golaço contra o Santos, no Brasileirão. Foto: Fernanda Luz/AGIF

EI: O que acha que vai acontecer com o campeonato estadual? 
 

L: Não temos como saber e não cabe a nós essa decisão. Sabemos que terminar o campeonato sem um campeão seria triste, mas temos pessoas capacitadas para tomar a melhor decisão para todos.

EI: O próximo jogo do Ceará seria, em princípio, contra o CRB. Você marcou o primeiro gol pelo Ceará em 2017, contra o próprio CRB. Seria uma partida especial pra você? 
 

L: Lembro bem do dia, marcou para mim ter balançado as redes vestindo essa camisa. A gente ia se encontrar novamente pela Copa do Nordeste, e talvez não fosse uma partida especial, mas seria importante para nós por causa da nossa situação. Temos que vencer, buscando a classificação na competição, para manter o Ceará sempre brigando por títulos

EI: O que pode falar de Guto Ferreira, novo técnico do Ceará? Conhece o trabalho dele?
 

L: Particularmente, nunca trabalhei com o Guto Ferreira, mas estava fazendo um grande trabalho no Sport e já dirigiu grandes clubes no futebol brasileiro. Ele chega com uma experiência muito grande para poder nos ajudar no restante da temporada.

EI: Você também jogou pelo Grêmio. Viveu a experiência de um Grenal. Qual clássico é maior? Gremio x Internacional ou Ceará x Fortaleza? O que sente de diferente, até na cidade, com relação a esses dois clássicos?

L: Já joguei esses dois clássicos, dois grandes jogos, de altíssimo nível e realmente a cidade para, né. A questão da diferença, a torcida aqui no Ceará tem a tendência em fazer os mosaicos, fazer toda aquela provocação com os mosaicos, e no Brasil vemos que o Grenal tem uma força muito grande pela repercussão nacional. Talvez, pelo fato do clássico Ceará x Fortaleza estar fora do eixo, não pese tanto para a mídia, mas para nós jogadores é maravilhoso entrar em campo nesse clássico, é um jogo especial. 

EI: Você é muito novo, tem apenas 23 anos. Qual seu grande sonho no futebol? O que te motiva? 
 

L: Hoje, minha grande motivação é ajudar o Ceará e conquistar títulos aqui, e um dia poder jogar no futebol europeu, pela cultura tática e técnica. Mas, acima de tudo, está minha família, meus pais, que mesmo de longe sempre mentalizaram, me ligam, me dão conselhos e me motivam.

EI: Em 2019, você jogou 15 partidas pelo Ceará e fez apenas um gol. A passagem anterior, em 2017, foi melhor, quando atuou em 22 jogos e marcou cinco gols. Em 2020, o grande objetivo também está em superar esses números? O que explica essa diferença nos números?
 

L: Espero que esse ano venham bastantes gols e assistências. Quero melhorar meus números, pois ano passado cheguei abaixo do que eu posso. Eu vim do "mundo árabe", um campeonato diferente, e senti um pouco a questão física, dificultou para mim. 

Lima comemora gol marcado na Vila Belmiro. Foto: Fernanda Luz/AGIF

EI: O vídeo do Matheuzinho do Grêmio, falando sobre a tapioca no avião, viralizou. Vocês têm praticamente a mesma idade. Éverton, também. Conta pra gente alguma resenha boa da época de Grêmio, quando estava com esses caras.

 
L: Essa do Matheuzinho, da tapioca, foi o melhor, que resenha é essa (risos)... As do Éverton não dá para lembrar, ele é muito quieto, na dele, reservado. Na base ele era muito tímido, lembro que para conversar com ele era complicado, que ele ficava na dele, mas que eu me lembre não tinha resenha, não. 

EI: Qual seu grande objetivo no Ceará? E como você vê a força do Ceará neste ano com relação aos outros times?


L: Os grandes objetivos são conquistar títulos. Espero conseguir aqui, até porque já tenho o acesso de 2017, então falta conquistar um título com essa camisa. Nosso elenco está muito forte, bem competitivo, chegaram grandes jogadores, experientes, então desde quando cheguei vi que o nível é alto e esperamos um grande ano.

 
Matheus Henrique aguarda medida da Fifa que aumente idade olímpica

Comentários