Futebol Brasileiro

EXCLUSIVO: Pablo pede união entre São Paulo e torcida para buscar títulos

Atacante ainda citou pressão natural que o clube enfrenta com a seca e inspiração em Luis Fabiano

Avatar del

Por Priscila Senhorães

Pablo comenta sobre sensação de jogar uma Libertadores pelo São Paulo(Getty Images)

Pablo comenta sobre sensação de jogar uma Libertadores pelo São Paulo | Getty Images

Sem perspectiva de retorno, o futebol paulista está paralisado por conta da pandemia do novo coronavírus. Aos poucos, outras regiões vão tentando normalizar o dia a dia do futebol, mas a cidade de São Paulo vive dias trágicos e convive com números assustadores.

"É um momento muito difícil para o mundo inteiro. As autoridades que tomam conta do futebol precisam ter consciência e responsabilidade para definir qual é o melhor momento de voltar. Eu não sei falar qual é, acredito que quando for mais seguro para todos. A gente sabe que uma partida envolve muitas pessoas além de jogadores e comissão técnica. Todo mundo quer que volte logo o futebol, mas tem que ter cautela. Estou com muita ansiedade para voltar a treinar e jogar com meus companheiros, mas a gente sabe que o futebol tem contato, não tem como não ter contato, jogar distante do adversário e do companheiro. É impossível", opinou Pablo sobre o retorno do futebol no Brasil.

O jogador faz parte do pacotão de reforços do São Paulo dos últimos anos que dá esperança à torcida para dias melhores. Sem títulos desde 2012, quando o Tricolor levantou a taça da Copa Sul-Americana, jogar no São Paulo não é tarefa fácil. 

"Para vestir a camisa do São Paulo precisa ter espírito de vencedor, porque é uma equipe acostumada a vencer e estar no topo. Faz muito tempo do último título. A torcida não está acostumada com isso. É óbvio que é uma responsabilidade, e cada ano que passa, vai aumentar mais", refletiu o camisa 9 Tricolor.

Pablo é um dos nomes de peso que o São Paulo contratou em busca de um elenco forte (Foto: Getty Images)

Pablo relembrou que, antes de vestir a camisa Tricolor, poderia ter optado por defender o Flamengo ou o Palmeiras, que também se interessaram por ele após período vitorioso no Athletico. 

"Eu me via muito no São Paulo, jogando com essa camisa. Estou feliz aqui e espero que eu possa dar alegria para o torcedor"

Além do orgulho de vestir a camisa do Tricolor, Pablo contou atitudes primordiais por parte do clube para a sua escolha. Confira a resposta da íntegra:

 

Quando Diego Souza deixou o clube, Pablo assumiu a camisa 9 e revelou, em entrevista ao canal do clube, certa inspiração em Luis Fabiano, ídolo do Tricolor. O atleta relembrou a passagem do craque pela seleção brasileira durante sua juventude e disse se inspirar em outros craques mundiais para fazer história.

"É um cara fantástico. Tem a camisa do São Paulo na pele. Quando eu estava subindo para o profissional, ele era o camisa 9 da seleção brasileira, então claro que é uma inspiração pra mim. Se eu vou chegar nesse nível de idolatria dele, isso é questão que só o tempo vai dizer, mas claro que é difícil fazer tudo que ele fez. Se tiver um pouco da vontade e um pouco dos gols já vai me ajudar muito. Mas claro que no futebol é uma das minhas grandes referências, como outros também, Ronaldo Fenômeno, Ibrahimovic, CR7, que hoje joga como um 9", contou Pablo.

Luis Fabiano não é a única marca forte que o São Paulo tem que agrada o atacante. A torcida Tricolor lotando o Morumbi também é motivo de orgulho por defender as cores do clube. Pablo relembra o clima do Morumbi na partida contra a LDU, onde o clube paulista saiu vencedor com o placar de 3 a 0.

Se conseguirmos trazer essa energia do jogo da LDU para todos os jogos, acredito que o São Paulo tem muito mais chance de ser campeão".

Confira na íntegra a declaração de Pablo sobre os torcedores do São Paulo.

 

Para Pablo, o São Paulo, juntamente com a força do Morumbi, está pronto para vencer a Libertadores, caso a competição volte a acontecer normalmente ainda nesta temporada.

"Aquele jogo contra a LDU deixou muito claro que o São Paulo é uma equipe que vai se impor em qualquer jogo pelo treinador que temos, pela forma que jogamos e pela qualidade dos nossos jogadores. A camisa também já representa muito, já coloca medo nas outras equipes. E os jogadores que o clube tem também são jogadores de respeito que os adversários já olham com olhar diferente. Acredito que a equipe do São Paulo tem chance sim de brigar pela Libertadores e esse é nosso objetivo", cravou o atacante.

Por fim, o camisa 9 são-paulino não escondeu sua admiração por Fernando Diniz e revelou uma ligação surpreendente do treinador em meio à quarentena.

"É um cara que pensa futebol de uma maneira que eu acho a mais correta possível, que é jogando com o time pra frente, com o time com posse de bola, propondo o jogo, criando oportunidades. No Brasil era a equipe que mais finalizava. Nós jogadores gostamos e concordamos plenamente. Ele me ligou esses dias e falou: "Pô, estou assistindo muitos jogos nossos, e tem muita coisa ainda pra melhorar". E eu achando que tava bom já (risos). Ele sempre está querendo mais, querendo buscar. É um cara que ainda vai ajudar o São Paulo muito", opinou.

Pablo chegou ao Tricolor no fim da temporada de 2018 e soma 41 jogos com a camisa do clube. Nesse tempo, são dez gols marcados, sendo dois deles na última partida do clube no ano, contra o Santos, que deu a vitória ao São Paulo no clássico.

Comentários