Futebol Brasileiro

Em Congresso, Palmeiras divulga protocolo para retorno dos treinamentos na Academia de Futebol

Clube realizará exames cardiológicos nos atletas antes da volta aos treinos para prevenir lesões futuras

Avatar del

Por Rodrigo Fragoso

Palmeiras ainda não tem data para retornar aos treinos(Divulgação/Palmeiras)

Palmeiras ainda não tem data para retornar aos treinos | Divulgação/Palmeiras

Ainda não há previsão para o retorno dos treinamentos presenciais em São Paulo, mas o elenco do Palmeiras já sabe quais cuidados terão de tomar no regresso às atividades dentro do centro de treinamento do clube. Durante o 2º Congresso Palmeiras de Ciências do Futebol, o clube divulgou o protocolo para a volta dos treinamentos presenciais.

Preocupado em prevenir lesões no retorno ao futebol, tendo em vista o alerta das oito lesões nas seis primeiras partidas no retorno do Campeonato Alemão, o clube vai submeter os atletas a uma série de exames antes mesmo da volta aos treinamentos.

"Para aqueles atletas que testaram positivo em algum momento, temos de pesquisar se houve alteração de danos cardiológicos, danos renais, hepáticos, pois a COVID-19 tem essa característica de danos, então todos os nossos atletas, em convênio com o Sírio Libanês, serão testados novamente na parte cardiológica. Vamos verificar os déficits das condições anteriores para justamente ter um trabalho específico nesse retorno de forma que a gente consiga prevenir lesões", conta Daniel Gonçalves, coordenador científico do clube.

Sabe tudo de futebol e quer provar que é um dos maiores torcedores do seu time? Clique aqui e baixe agora o Fanáticos! É grátis!

De acordo com o protocolo apresentado, todos os jogadores já sairão de suas casas uniformizados e sozinhos, sem fazer qualquer parada no trajeto até a Academia de Futebol. Munidos de álcool gel, todos serão obrigados a vestir máscara na chegada ao local. Sem portar objetos pessoais, os jogadores deverão se apresentar no ponto de triagem, onde serão testados, pegar o kit de nutrição personalizado e partir diretamente para o local de treino pré-estipulado.

"Num primeiro momento, não vamos utilizar as áreas internas para evitar a possibilidade de contágio e não vamos utilizar massagem e fisioterapia. Não vai haver nenhum contato dos jogadores, o que vai pedir uma nova rotina", explica Gonçalves.

Como explica o coordenador, haverá preferência pela utilização das áreas externas para a realização das atividades e o vestiário servirá apenas como área de apoio, podendo ser utilizado para massagens e fisioterapia se necessário, de acordo com a apresentação. Os treinamentos acontecerão sem a exigência de máscaras, porém apenas cinco jogadores participarão de atividades em cada campo, respeitando 20 metros de distância para cada companheiro em uma área ao ar livre de 7 mil metros quadrados.

"De acordo com a nossa estrutura física, vamos treinar 15 atletas por vez, já que possuímos três campos de treinamento, sendo dois de grama natural e um de grama sintética, permitindo que 15 atletas treinem simultaneamente sem ter contato", conta Daniel Gonçalves, que explica a necessidade de uma área reservada para cada atleta em seguida: "as gotículas de saliva são transmitidas até 20m de distância quando se está correndo. Isso depende da velocidade do vento e de quem está correndo. Então os trabalhos com um jogador correndo atrás do outro é contra-indicado. Nesse momento, teremos bastante cuidado com isso", conclui.

 
Luiz Adriano vê Flamengo como espelho no futebol brasileiro
Comentários