Futebol Brasileiro

Fabinho, atacante do São Paulo, não deve aceitar propostas para continuar no clube

Fabinho é o atacante que mais ganhou títulos na base do São Paulo, mas não quer acertar com o clube para ser promovido ao elenco profissional

Avatar del

Por Redação do Esporte Interativo

Fabinho já conquistou 12 títulos na base são-paulina(Thiago Calil/AGIF)

Fabinho já conquistou 12 títulos na base são-paulina | Thiago Calil/AGIF

Fabinho, jogador maior campeão da base do São Paulo, com 12 títulos, não deve permanecer no clube a partir de junho, quando o seu contrato se encerra. Isso porque o atacante não aceitou nenhuma das negociações de renovação apresentadas pelo Tricolor.

A informação, inicialmente dada pelo 'Lance!' e confirmada pela reportagem do Esporte Interativo, é de que o São Paulo registrou uma proposta ao atacante na Federação Paulista de Futebol, garantindo seus direitos dentro da Lei Pelé.

Assim, a preferência pelo atleta é do clube formador. Ou seja, se Fabinho receber boas propostas, o São Paulo, pela lei, pode cobrir. Porém, o Tricolor já passou por um problema com essa mesma regra.

Sabe tudo de futebol e quer provar que é um dos maiores torcedores do seu time? Clique aqui e baixe agora o Fanáticos! É grátis!

No caso citado, o atacante Bissoli teve duas propostas feitas pelo Athletico Paranaense, mas os paulistas cobriram. Até que o jogador acertou com o Fernando de la Mora e foi emprestado ao clube de Curitiba. O São Paulo acredita que foi uma transação combinada e buscará indenização na Justiça caso não consiga acordo com o Furacão.

Já no caso atual, de Fabinho, ele deve se transferir para a Europa e o Tricolor terá que ficar, somente, com o direito de indenização proporcional ao período que ele esteve no clube, segundo regra da Fifa. Caso isso ocorra, o São Paulo deve ter cerca de 90 mil euros por ano pela contratação do atacante.

 
'Sensação de ter sido prejudicado', diz Michel sobre queda na Liberta de 2016
Comentários