Futebol Brasileiro

Final única favorece alguma equipe? Comentaristas do Esporte Interativo respondem

Luis Felipe Freitas, Taynah Espinoza e Vitor Sergio Rodrigues deram suas opiniões sobre a final da Libertadores ser decidida em jogo único

Por Clara Mello

Final será disputada em jogo único no estádio Monumental de Lima

Final será disputada em jogo único no estádio Monumental de Lima

Até a bola rolar para Flamengo e River Plate neste sábado (23) pela final da Libertadores, um assunto foi alvo de grandes polêmicas e discussões: a final única. Pela primeira vez na história da competição, o campeão será decidido em apenas um jogo, em campo neutro. Primeiramente, o palco escolhido era o estádio Nacional, em Santiago no Chile. Porém, por conta dos protestos que estão assolando as terras chilenas, o confronto foi transferido para o estádio Monumental de Lima, no Peru. 

Após os inúmeros debates se este seria o melhor formato para a decisão da Libertadores, a Conmebol justificou a escolha como uma portunidade para que a América do Sul dê um salto em infraestrutura esportiva, seguindo a linha do futebol europeu, por exemplo. Porém, muito se discutiu se tal decisão seria favorável ou não para um dos finalistas.  

Antes do apito inicial em Lima, Luis Felipe Freitas, Taynah Espinoza e Vitor Sergio Rodrigues deram suas opiniões sobre o assunto. Afinal, o jogo único na decisão da Libertadores favorece ou desfavorece alguma das duas equipes?

Luis Felipe Freitas

Se fosse um confronto entre um time muito melhor que o outro, faria diferença ser uma final única. Mas sendo confronto entre dois times muito parelhos, não representa vantagem ou desvantagem pra ninguém. Acho que se tivéssemos confronto na casa do River e na casa do Flamengo, o mando de campo do Flamengo seria mais forte na final, principalmente porque decidiria em casa. Mas sendo jogo único não vejo uma diferença específica pra esse confronto não.

Taynah Espinoza

Eu gosto mais da final em dois jogos, gosto de ver os dois estádios cheios, as duas torcidas cantando...mas acho que essa é uma novidade na Libertadores que precisamos aguardar pra ver se vai conseguir se tornar como a final da Champions, que mexe completamente com o clima da cidade com vários eventos especiais. Teoricamente, acredito que a final em jogo único ajude o time mais fraco, mas nesta decisão não tem muitas diferenças entre as equipes. Coletivamente e individualmente, o futebol do Flamengo me agrada mais, mas o River tem um trabalho mais longo com o Gallardo, com jogadores que já conhecem muito bem a Libertadores. Neste caso específico, acho que a final em jogo único não favorece ninguém.


Vitor Sergio Rodrigues

Eu acho ruim a final em jogo único, por conta da história da Libertadores, das dificuldades estruturais do continente sul-americano e porque dentro da própria Conmebol ninguém gosta dessa solução, tendo adotado exclusivamente porque era uma forma de ganhar mais dinheiro com a decisão em uma só partida.

Não é fácil avaliar se alguém leva vantagem pelo fato de a final não ser em jogo único. Neste século, o Flamengo tem ido muito mal em jogos na casa do adversário fora do Brasil (16 derrotas em 30 jogos). Por campanha, o primeiro jogo seria no Monumental de Nuñez, onde o River é muito forte. Mesmo com a força que o Fla de Jorge Jesus tem no Maracanã num hipotético segundo jogo, acho que é ligeiramente melhor para o Fla ser apenas em um jogo. Mas pouca coisa.

Se a decisão de final única favorecerá alguma das duas equipes, só saberemos neste sábado (23), às 17h (de Brasília). Para a grande decisão, Jorge Jesus e Marcelo Gallardo já confirmaram os times titulares e agora só esperam a bola rolar no Monumental de Lima.

Comentários