Futebol Brasileiro

Funcionários demitidos pelo Flamengo desabafam em carta aberta: 'Essa diretoria é desumana'

O Rubro-Negro demitiu cerca de 62 funcionários em função da crise do novo coronavírus 

Avatar del

Por Redação do Esporte Interativo

Ex-funcionários desabafaram após demissão em massa no Flamengo(Foto: Divulgação/Flamengo)

Ex-funcionários desabafaram após demissão em massa no Flamengo | Foto: Divulgação/Flamengo

Cada vez mais evidente no Brasil, a crise do novo coronavírus está deixando sequelas também no mundo do futebol. No último dia 30 de abril, o Flamengo demitiu ao todo 62 funcionários para enxugar a folha de gastos do clube neste momento. 

Porém, a atitude não foi muito bem recebida pelos colaboradores que acabaram sendo desligados. Nesta quarta-feira (06), em uma carta aberta enviada com exclusividade ao jornalista Jorge Nicola, os ex-funcionários do Flamengo demonstraram suas indignações com a situação. 

Sabe tudo de futebol e quer provar que é um dos maiores torcedores do seu time? Clique aqui e baixe agora o Fanáticos! É grátis!

No documento, os trabalhadores revelaram uma chateação com a atual diretoria do Flamengo, que segundo eles, não teve sensibilidade e consideração com os profissionais no atual momento vivido no mundo. Confira a carta na íntegra:  

Neste momento de pandemia, neste momento que estamos vivendo uma crise, depois de anos e anos dedicando trabalho e amor ao nosso clube, o que recebemos em troca? Somos demitidos de forma cruel e sem perspectiva de trabalho. A maioria de nós recebe salários que temos até vergonha de falar, pois é importante que todos saibam o quanto o CR do Flamengo remunera mal seus funcionários, para que os gerentes, supervisores, diretores e Ceo tenham bônus até fora da realidade do mercado.

É só olhar nos últimos balanços e ver o quanto estas pessoas ganham de bônus. Essa diretoria é desumana. O presidente e o presidente adjunto não têm nenhuma sensibilidade humana. Falamos do Landim, presidente eleito, e do sr. Bap, que é quem comanda o clube, vide o caso dos “Meninos do Ninho”. As famílias até hoje imploram que o clube faça a sua parte e esta dupla sem dó nem piedade não dá a mínima para elas.

Olha o caso da premiação dos títulos do Brasileiro e da Libertadores. O pessoal que trabalha ou trabalhava no futebol tinha uma participação importante. Muitos poderiam pagar suas contas, ter um fim de ano melhor, proporcionar às suas famílias um Natal digno... O que foi feito? Cortaram sem dó nem piedade a base de 80% do prêmio para os humildes funcionários, pois para os grandes todos receberam sua premiação integral.

Agora, neste momento de pandemia, poderiam falar com os atletas e eles com sua condição financeira melhor que as nossas poderiam contribuir pra atingir o objetivo da economia. Não, manda os que ganham menos para rua. Este é o Flamengo bem no campo de jogo com atletas comprometidos e um treinador competente, humano e educado com todos os funcionários, mas uma diretoria formada por insensatos como jamais houve na história do clube.

 
Comentários