Futebol Brasileiro

'Não vou correr mais pelo xingamento', diz Jean Mota sobre vaias

Jogador, que foi titular no último domingo contra o CSA, falou sobre as vaias que sofreu e se mostrou entusiasmado em permanecer no Santos

Avatar del

Por Redação do Esporte Interativo

"Qualquer jogador gostaria de estar no Santos. Estou muito feliz", disse o meio-campista

"Qualquer jogador gostaria de estar no Santos. Estou muito feliz", disse o meio-campista

"Não vou correr mais pelo xingamento, eu já dou meu melhor", disse Jean Mota, em entrevista coletiva nesta quarta-feira (2). O jogador, que vem reconquistando a confiança do técnico Jorge Sampaoli, entrou como titular no último jogo de domingo (29), na vitória de 2 a 0 sobre o CSA, e foi bastante vaiado pela torcida. 

O meio-campista teve uma boa fase no Campeonato Paulista, mas a queda de rendimento e a possibilidade de deixar o clube na última janela acabaram esfriando a relação do jogador com os torcedores. No entanto, segundo o próprio camisa 41, a reação negativa das arquibancadas não vai afetar o seu empenho em campo:

“ A vaia acaba prejudicando. Você tem que estar 100% mentalmente focado para isso não influenciar. Nos equivocamos num lance e no outro não tentamos por medo. Acaba fazendo o básico, é falta de confiança muitas vezes. Se errar todo estádio vaia”, comentou. 

O jogador foi titular no último domingo, contra o CSA 

Antes do fim da janela de transferências, Jean Mota chegou a admitir o interesse de deixar o clube. Porém, embora a relação esteja estremecida com a torcida, o jogador afirmou que permanecer no Peixe foi sua melhor opção. “Acho que tudo tem um propósito. Foi da vontade de Deus eu ficar, então tenho algo grande aqui. Como eu sempre falei, estou num grande clube. Não teria motivo para ter tristeza de estar aqui. Qualquer jogador gostaria de estar no Santos. Estou muito feliz".

Até aqui, o Santos está na terceira posição da tabela do Brasileirão, a oito pontos do líder. Seu próximo confronto está marcado para sábado (5), às 17h, contra o Vasco, em São Januário.

Comentários