Futebol Brasileiro

Joia da base do Santos explica recusa ao São Paulo para fechar com o Peixe

O meia Gabriel Pirani, que tem multa rescisória estipulada em 100 milhões de euros, afirmou que tinha testes no Santos e São Paulo marcados para o mesmo dia e escolheu o Peixe

Avatar del

Por Redação do Esporte Interativo

Gabriel Pirani é uma das grandes apostas do Santos na base(Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC)

Gabriel Pirani é uma das grandes apostas do Santos na base | Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC

O futuro do meia Gabriel Pirani, considerado uma das grandes promessas das categorias de base do Santos, poderia ter sido longe do Peixe. O jogador de apenas 18 anos, que tem multa rescisória estipulada em 100 milhões de euros (quase R$ 630 milhões) revelou que poderia ter ido para o rival São Paulo, mas escolheu o Alvinegro da Vila Belmiro.

"Com sete anos, o meu professor decidiu me levar para fazer um teste no São Paulo. Eu fui e passei. Fiz mais testes até os oito, nove anos. Aí tive oportunidade de fazer um teste no Santos na mesma data que seria mais um no São Paulo. Como eu sabia que o São Paulo na época não jogava campeonatos sub-11, eu quis ir para o Santos e passei no teste", disse em entrevista ao 'Globo Esporte'.

A principal referência de Pirani também vem do Santos: o ex-meia Elano, multicampeão no clube e que chegou a ser técnico do time no final de 2017 e chamou o jovem da base para treinar entre os profissionais. 

"Eu sempre acompanhei o Elano. Ele é uma das minhas referências, por ser um cara mais sério. Ele sempre foi assim. Nunca ostentou nada. Desde pequeno, sempre usei ele como referência. Quando conheci ele, foi uma surpresa. Ele me chamou para treinar quando eu tinha só 15 anos. Nem conversamos muito, então (o elogio) foi uma surpresa para mim".

Sabe tudo de futebol e quer provar que é um dos maiores torcedores do seu time? Clique aqui e baixe agora o Fanáticos! É grátis!

Gabriel Pirani fez parte do grupo de "sparrings" usados por Jorge Sampaoli em 2019. O jogador é da mesma geração de Kaio Jorge e Sandry, que já integram o grupo dos profissionais. O primeiro, inclusive, marcou o gol da vitória do Santos na estreia da Libertadores de 2020, diante do Defensa y Justicia. 

 
'Quero voltar para ser campeão', diz Cuca sobre o Santos
Comentários