Futebol Brasileiro

Justiça nega pedido de prisão domiciliar de Ronaldinho no Paraguai

Ex-jogador e seu irmão seguirão detidos em um presídio de segurança máxima, onde estão desde sexta-feira (06)

Avatar del

Por Redação do Esporte Interativo

Ronaldinho está detido em Assunção desde sexta-feira(Norberto Duarte/AFP via Getty Images)

Ronaldinho está detido em Assunção desde sexta-feira | Norberto Duarte/AFP via Getty Images

A Justiça do Paraguai negou nesta terça-feira (10) o pedido de liberação para prisão domicilar feito pela defesa de Ronaldinho e seu irmão, Roberto Assis. Com isso, ambos seguirão detidos no presídio de segurança máxima, em Assunção, onde se encontram desde sexta-feira (06).

A decisão foi tomada pelo juiz Gustavo Amarrilla, que explicou que a negativa do pedido se dá por conta da natureza dos crimes apurados e pelo fato dos irmãos não terem 'raízes' no Paraguai.

"O Ministério Público sustentou a sua posição de se opor à toda modificação à prisão preventiva. Se trata de uma investigação com atos que atentam contra a segurança de documentos de identidade do Paraguai. Faz cinco dias que começou a investigação. Ainda se está estudando condutas individuais. Essas pessoas (Ronaldinho e Assis) não têm raízes (no Paraguai)".

Ronaldinho e seu irmão Assis foram detidos no Paraguai na última sexta pelo uso de documentação falsa (passaportes e carteiras de indentidade com nacionalidade paraguaia). Inicialmente, os irmãos não seriam acusados pelo Ministério Público, mas uma reviravolta ocorreu e os dois tiveram suas prisões preventivas decretadas.

  • Caso Ronaldinho
Comentários