Futebol Brasileiro

Luxemburgo, do Palmeiras, pede paciência por retorno do futebol: 'Preocupação com a pandemia'

Vanderlei Luxemburgo, técnico do Palmeiras, disse que futebol não é "a máquina do mundo" e elogiou trabalho do Palmeiras com funcionários e jogadores durante a crise causada pela pandemia do novo coronavírus

Avatar del

Por Redação do Esporte Interativo

Luxemburgo elogiou condução do Palmeiras durante crise causada pela pandemia do novo coronavírus(Getty Images)

Luxemburgo elogiou condução do Palmeiras durante crise causada pela pandemia do novo coronavírus | Getty Images

O Palmeiras voltou aos treinamentos, mesmo que de forma virtual, na última segunda-feira (04). A coletiva do técnico Vanderlei Luxemburgo nesta quarta (06) também seguiu as recomendações de distanciamento social, sendo realizada por vídeo conferência. Para o treinador, é necessário pensar em outras coisas antes de visualizar um retorno do futebol às atividades normais.

"As pessoas estão muito preocupadas com o futebol, como se fosse a máquina do mundo. A preocupação é com o momento mundial com a pandemia, de saúde, de óbito de pessoas, letalidade do vírus. Essa é a preocupação: como vamos conseguir acabar com esse vírus? Como a sociedade voltar a sua normalidade? Essa é a preocupação e torcendo muito para que os cientistas possam descobrir logo um meio para acabar com esse vírus para que todos nós, não só o futebol, possamos voltar a normal. Não vamos pensar só no futebol, tem que voltar hoje, amanhã, depois de amanhã, a preocupação é com acabar com o vírus", afirmou.

Sabe tudo de futebol e quer provar que é um dos maiores torcedores do seu time? Clique aqui e baixe agora o Fanáticos! É grátis!

Luxemburgo também elogiou a postura da diretoria do Palmeiras no tratamento com os jogadores e com os funcionários. O clube não dispensou pessoas durante a crise e tem ajudado seus colaboradores apoiados pela redução salarial do elenco e diretores.

"Os jogadores entenderam e contribuíram com aquilo que foi proposto pelo clube, foi uma aceitação unânime de que era importante cedermos. Um clube que nos dá tantas coisas, nos remunera muito bem e paga a gente sempre em dia, cumprindo com seus compromissos. Então nada melhor do que retribuir com a empresa para que ela possa passar por esse momento com tranquilidade. Eu, Anderson (Barros, diretor de futebol), Cícero (Souza, gerente de futebol do Palmeiras) estamos juntos nesse documento. A comissão técnica está dentro de outros processos", revelou.

O presidente fez questão de respeitar os atletas, Palmeiras criou aquilo que poderia criar de bom pra eles, mas que não prejudicassem os atletas e que pudessem colaborar. Palmeiras não está pensando em tirar da gente, está pensando em preservar os funcionários, não tem porque não colaborar. Eu não tenho dúvidas de que meu elenco vai estar muito mais empenhado e comprometido do que antes pelo respeito que o Palmeiras teve com eles. O retorno vai ser: muito obrigado pelo respeito e o Palmeiras agradecendo por eles contribuirem", garantiu.

Luxemburgo também falou sobre os trabalhos iniciados por videoconferência nesta semana. Para o comandante, serão necessários treinos intensos por conta do período de inatividade - o último jogo do Palmeiras foi realizado no dia 14 de março, contra a Inter de Limeira, pelo Paulistão, há quase dois meses.

"Nós estamos voltando de férias, é igual pré-temporada, mas os jogadores nas férias jogam muita pelada. Eles nunca chegam zerados. Se você perceber, essas férias foram mais prolongadas. Na hora que voltarmos ao CT, num estágio bem melhor treinado. Se você perceber, as férias já terminaram, então agora não to pedindo, agora criamos uma rotina de trabalho, voltamos para as nossas atividades, mas não podemos estar juntos por conta do isolamento. Então fomos de encontro a casa dos atletas. É uma obrigação, não pode atrasar, então estamos iniciando uma pré-temporada porque tivemos bastante tempo parado. Nesse período eles não tiveram a atividade de pelada, pra eles treinarem numa sala de 10x10, campinho de futebol na fazenda, chácara, então vamos chegar num estágio melhor", garantiu.

 
Andreas Pereira volta a demonstrar vontade de 'encerrar a carreira' no Santos
Comentários