Futebol Brasileiro

Novas mensagens que compõe o inquérito de Robinho são divulgadas

No documento, amigo de jogador se mostra aliviado pelo fato de não haver câmeras no ambiente, onde teria ocorrido o caso de violência sexual 

Avatar del

Por Redação Esporte Interativo

Robinho quando atuava pelo Milan, em 2013, no período que teria ocorrido o caso de violência sexual(2013 Marco Luzzani)

Robinho quando atuava pelo Milan, em 2013, no período que teria ocorrido o caso de violência sexual | 2013 Marco Luzzani

A condenação em primeira instância de Robinho, diante da acusação de violência sexual cometida na Itália, ganhou um novo episódio na manhã deste domingo. Após o vazamento, na sexta-feira (16), de trechos de conversas que fazem parte do caso, outras mensagens, também colhidas a partir das redes sociais e mensagens de texto do jogador e seus amigos, foram divulgadas.

Segundo informação compartilhada pelo 'Esporte Espetacular', Robson e Ricardo Falco, também condenado, foram grampeados  e  monitorados pela polícia Italiana. Após essas investigações, as autoridades chegaram a diálogos que incriminaram os dois homens. 

Em uma das conversas, o amigo do atleta questionou a inteligência da mulher, pelo fato dela não entrato em contato com eles para pedir dinheiro:

Falco: – Se ela fosse uma menina mais esperta, dois dias depois, ela teria dito: "Escuta, eu fiz alguns exames... Robinho, ou você me dá um dinheiro ou eu vou procurar os jornais...". Aí eu diria que acabou. A menina fez os exames, acabou. Entendeu?


Robinho: – Primeiro, porque não tocamos na menina. Quem a tocou foram os meninos. Segundo: não há provas.


Falco: – Nada.


Robinho: – Não tinha nenhuma câmera, ela não tem nenhuma foto.

Os 'meninos' seriam os outros quatro brasileiros envolvidos e, também, amigos de Robson. No depoimento prestado em 2014, o jogador afirmou que estava na boate italiana e a moça albanesa, na época com 23 anos, aproximou-se dele e o convidou para ir a um local sem movimentação. Neste ambiente, teriam praticado sexo oral sem a presença de mais ninguém por cerca de dez minutos. 

A versão dada por Robinho foi contestada pelos juízes do caso. Segundo o que foi publicado na sentença, nos telefones dos acusados foram encontradas mensagens com teor de acusação e autocusação direta.

Jairo Chagas, que tocou no dia e foi responsável pelo camarim onde o crime ocorreu, conversou com o jogador no dia 24 de janeiro de 2014 dizendo que viu Robinho com a vítima, no ato de sexo oral. A polícia interceptou, também, mensagens entre o músico e uma amiga, onde falaram sobre a situação:

Amiga: – Que coisa ruim eles fizeram... Essa coisa junto com Robinho. Ele também não deveria ter nada com isso... Estar com esses amigos desgraçados.


Jairo: – A garota queria fazer sexo. Mas seis são demais.


Amiga: – Isso é coisa de covarde, Jairo. Gente de m... que realmente não presta.
Jairo: – Seis são realmente demais.


Amiga: – Se a garota estivesse consciente, eles poderiam se safar. Mas ela nem consentiu.

Jairo voltou a trocar mensagens com  mesma amiga em março de 2014. 

Jairo: – Isto não é uma coisa, chama-se estupro. O que aconteceu se chama estupro.

A vítima enviou uma mensagem para Ricardo Falco, após o acontecimento na boate de Milão:

A vítima diz: – Acho que vou falar com um advogado. Eles se aproveitaram de mim e você sabe disso! Eu não estava definitivamente consciente e nem sei como entrei naquele camarim.

Na sentença, há uma mensagem de Falco reforçando sentir um certo 'alívio' pelo ambiente do 'Sio Café' não possuir câmeras:

Falco: – A minha única preocupação é que tivesse câmeras, porque, se tivesse câmeras, elas teriam gravado que eu estava transando com a garota. O fato de não ter câmeras foi a nossa salvação.

A jovem violentada afirmou ter recebido um convite por um dos amigos do jogador para fazer parte de uma comemoração na boate. Além disso, fora solicitado que ela se aproximasse da mesa - onde Robinho estava - apenas depois que a esposa dele fosse embora. 

Em seu depoimento, a fala de que teria sido embebedada pelo grupo de homes teria sido decisivo pela condenação. 

Falco: – Naquele dia ela não conseguia fazer nada, nem mesmo ficar em pé, ela estava realmente fora de si.

Robinho: – Sim.

A defesa da mulher pediu uma indenização em torno de 100 mil euros - aproximadamente R$ 662 mil reais na atual cotação. O advogado não afirma qualquer pedido direto ao Robinho. A vítima nunca deu entrevista sobre o episódio. 

Comentários