Futebol Brasileiro

Patrocinadores do Santos se posicionam em relação ao caso Robinho

Após quebra de contrato da Orthopride,  a Umbro, Philco, Kodilar, Tekbond, Kicaldo e Grupo FoxLux aguardam um posicionamento do clube para tomarem uma decisão de rompimento

Por Ludmilla Florencio

Robinho foi reapresentado ao Santos no último sábado (10)(Ivan Storti / Santos FC)

Robinho foi reapresentado ao Santos no último sábado (10) | Ivan Storti / Santos FC

Robson de Souza, o Robinho, e 'amigo', foram condenados pela Justiça Italiana, em novembro de 2017, pelo crime de violência sexual coletiva cometido contra uma mulher de 22 anos. A sentença de nove anos de prisão veio em primeira instância. 

A situação aconteceu no ano de 2013, no período em que o jogador atuava no Milan, em uma boate da cidade de Milão. Na manhã desta sexta-feira (16), após o 'globoesporte.com' revelar as transcrições de mensagens do processo, responsáveis pela acusação ao jogador, patrocinadores do Santos se posicionaram. 

 

 

A Philco

Em resposta à reportagem do Esporte Interativo, a Philco, um dos principais apoiadores do clube, disse não compactuar e repudiar qualquer ato de violência cometido contra mulher. Por isso,  já encaminhou nota ao Santos Futebol Clube, solicitando providências em relação ao atleta Robinho, sendo que a parceria só se manterá caso a instituição rescinda o contrato com o atleta de forma imediata.

Além disso, reforçaram que o patrocínio de times de futebol e práticas desportivas têm como intuito manter seu compromisso em ajudar no desenvolvimento do cenário esportivo do País.

A marca também utilizou suas redes sociais para se manifestar sobre o caso.

 
A Umbro

O grupo inglês de material esportivo, Umbro, disse em nota que  solicitou para a próxima semana uma reunião extraordinária com a diretoria do time, onde apresentará todos os fatores de risco referentes ao caso de Robinho. Deste encontro sairá a definição de posicionamento da marca.

A empresa ainda reforçou que, como fornecedora de material esportivo, diferentemente de um patrocínio comum, tem por contrato um amplo calendário de entregas com todos os ativos do Santos, além de lojistas e todo ecossistema comercial, com os quais terá que arcar ainda em 2020.

Grupo Foxlux

O Grupo Foxlux disse aguardar o posicionamento do Santos nas próximas horas e pontuou sempre acreditar no esporte como ferramenta de transformação das pessoas, além de ser uma estratégia de impulsionamento de suas marcas.

Segundo informado, diante das divulgações apresentadas, solicitaram ao time do litoral paulista quais ações serão tomadas em relação ao ocorrido para que possam decidir as melhores atitudes a serem adotadas.

Reforçaram que a decisão do clube, quanto aos profissionais que ali trabalham, cabe apenas ao clube. E, para eles, como patrocinadores, fica a busca de associar propriedades que tragam boas experiencias e percepções.

"O certo é que o Grupo Foxlux tem em seus valores 'atuar de maneira ética e respeitosa seguindo as normas da empresa e principalmente as regras e leis da sociedade e dos mercados em que atuamos' e tomaremos as atitudes necessárias que não nos vinculem a situações que não compactuam de nossa atuação no Brasil mesmo que de forma indireta como é este caso", finalizaram. 

 

Kodilar

A Kodilar, empresa de alimentos e uma das nove parceiras do time, respondeu que esteve em contato na manhã desta sexta-feira (16) com a diretoria e presidência do Santos, e está cobrando um posicionamento  até o final do dia. Na conclusão de nota, o grupo pede que o caso seja solucionado o mais rápido possível. 

 

Tekbond

A empresa responsável pela produção de produtos adesivos, Tekbond, usou suas redes sociais para se manifestar diante do episódio. De acordo com a nota, o grupo manifesta preocupação sobre o fato e, neste momento, a continuidade do patrocínio está condicionada ao cancelamento da contratação do jogador pelo clube.

 

 

Os outros patrocinadores

Até o momento, os outros apoiadores, Oceanob2b, UniCesumar e Casa das Apostas, não deram resposta ao Esporte Interativo. Na última quarta-feira (14), a Orthopride, empresa de cuidados dentários, anunciou fim da parceria com o Peixe após a polêmica chegada do atacante. 

Já empresa de alimentos, Kicaldo, divulgou uma nota oficial em suas redes sociais declarando que, caso o clube não rescinda o contrato com Robinho, o patrocínio será retirado.

Comentários