Futebol Brasileiro

Perto dos 100 jogos, Gilberto se declara: 'Cada dia me torno 10 mil vezes mais Bahia'

Com contrato renovado até o fim de 2021, atacante é o artilheiro do time no ano e projeta grande temporada para o Tricolor

Avatar del

Por Redação do Esporte Interativo

Gilberto em ação pelo Bahia na temporada de 2020(Felipe Oliveira / E.C Bahia)

Gilberto em ação pelo Bahia na temporada de 2020 | Felipe Oliveira / E.C Bahia

Por Monique Danello

Enquanto o futebol segue paralisado pela pandemia do novo coronavírus, Gilberto aproveita os dias de férias forçadas para cuidar da forma física e ficar perto da família. Na casa da mãe, em Alagoas, o atacante participou ao vivo pela internet do programa 'Fora de Jogo', no Instagram do Esporte Interativo. Gilberto está de contrato renovado até o fim de 2021, tem 7 gols em 10 jogos nessa temporada e é o artilheiro da equipe no ano. Quando o assunto é o Bahia, o jogador abre o coração.

"O orgulho de vestir a camisa do Bahia não tenho nem como descrever. Estava quase fazendo 100 jogos, é a primeira vez na minha carreira que iria fazer isso por um clube. Posso falar muitas coisas positivas do Bahia e daqueles que comandam o clube, colocam nos trilhos. O Bahia será um clube que, depois que passar esse período, vai se levantar muito fácil. A organização é grande, eles estão se precavendo de tudo. Estou muito feliz de fazer parte disso, a cada dia que passa me torno 10 mil vezes mais Bahia. Meu maior sonho como jogador é ganhar um título grande, se eu conseguir realizar isso com o Bahia será importantíssimo".

Gilberto chegou no Bahia em 2018 e, antes da paralisação do futebol, alcançou a marca de 93 jogos com a camisa tricolor. Chamado carinhosamente pelos torcedores de "Gibagol", o atacante é um dos principais nomes do time do técnico Roger Machado. Na entrevista exclusiva, também não poupou elogios ao treinador. Confira agora os principais trechos do 'Fora de Jogo'.

Sabe tudo de futebol e quer provar que é um dos maiores torcedores do seu time? Clique aqui e baixe agora o Fanáticos! É grátis!

Atividades na quarentena
A rotina sem futebol é muito difícil, minhas esposa reclama que sou muito chato (risos). Mas é importante para se precaver desse vírus que está nos assombrando. A gente tinha um protocolo de treinos porque, até então, a gente não estava de férias. Até dia 1 de abril a gente estava seguindo o protocolo que estava sendo enviado pelos preparadores físicos do Bahia. Em férias de um mês, eu sempre faço uma rotina ficando só uma semana sem treinar, depois já volto, correr, nadar. Dessa vez, tirei apenas cinco dias.

Impactos da pandemia no futebol
Infelizmente, a gente tem que passar por esse período, não tem jeito. A gente fica muito preocupado com a situação dos clubes, principalmente com a situação dos jogadores. No Brasil, 1% dos jogadores recebe uma boa grana e o restante não recebe tão bem assim, necessita do salário para sobreviver. A gente está vendo as possibilidades para se ajustar. Importante é todo mundo se unir, para que essa situação passe o mais rápido possível.

Grande início de temporada
Acho que foi a continuidade, todos os jogadores que aqui estão e todos que chegaram. Nosso clube vem em evolução, qualificamos nosso elenco, estamos ajustando tudo e fazendo o possível para chegar no Brasileiro no mais alto nível e buscando coisas grandes. Eu me beneficio disso, jogar ao lado do Gregore, Lucas Fonseca, Douglas, Anderson, Élber, posso citar todos aqui. Só posso agradecer a eles, eles me procuram na área, eles esquecem de chutar para tocar, eu fico zoando eles depois.

Parceria com Rodriguinho
O Rodriguinho chegou há pouco, mas é muito inteligente taticamente, procuro acompanhar o raciocínio dele, já sabia como era porque jogava contra. Mas, dentro do mesmo time, você vê como é a postura e os movimentos. Temos um entrosamento que já deu certo, já conseguimos jogar juntos e bem, com o tempo vai aumentando. Eu tenho que aprender também, ele já ganhou um título que eu gostaria muito de ganhar, que é o Campeonato Brasileiro. Eu estou em busca e quero que ele me ajude a ganhar.

Superar os 29 gols de 2019
Se eu disser que minha meta era não ter meta, eu estaria errado. A única meta que eu tenho é ser campeão e ganhar o máximo de jogos possíveis para que isso aconteça. É claro que tem um adversário, que busca a mesma coisa. Mas, se possível, eu trabalho mais e busco mais para conseguir o que quero, que é ser campeão.

Permanência no Bahia
Eu nunca vivi o que estou vivendo no Bahia, vivi um grande momento no São Paulo, na Portuguesa e no Santa Cruz, que foi onde comecei. Mas eu nunca vivi o que estou vivendo no Bahia. A paixão já existia, virou amor e depois do amor vem a estabilidade. Só faltava a estabilidade e veio, graças a Deus, estamos indo bem. Eu e o Bahia estamos seguindo os rumos que sonhamos e traçamos.

Trabalho de Roger Machado
O Roger é excepcional, ele potencializou o que a gente tinha de melhor ano passado, mas não colocou tudo que ele poderia. Ele pegou o time, que já estava praticamente montado, teve que fazer mudanças por questão de lesão, mas ele potencializou o que a gente tinha. Não conseguiu implementar o todo, mas esse ano, com tempo, está fazendo isso. Por essa razão que estamos com uma mobilidade maior. No ano passado a gente tinha um time voltado para a transição, que explorava muito isso com o Artur, que a gente queria ele continuasse, o Élber do outro lado. A gente ia ter um ponto forte para sair do sufoco do adversário. Com o tempo, a gente não conseguiu fazer isso se concretizar e levar para a Libertadores. Esse ano é totalmente diferente, estamos implementando tudo, não podemos reclamar nada dele. Ele colocou para fora tudo que sabe de futebol, me ensinou muitas coisas ano passado e está ensinando mais esse ano, de posicionamento, movimentações, que você aprende e não coloca em prática. Essas pequenas coisas fizeram com que nosso time evoluísse, que a gente continue acreditando no que ele pensa. Sem sombra de dúvida, Roger é um dos melhores do Brasil, deve estar entre primeiro e segundo, na minha opinião. Tem um time qualificado, vamos chegar longe, mas não sei onde, não posso cravar, futebol é difícil e a gente tem essa paixão justamente por não saber o resultado. Vamos trabalhar para deixar ele ainda mais forte no cargo dele, que possa ter tranquilidade total para desenvolver o que deseja dentro do time e a gente evoluir.

 
Jogadores do Bahia fazem adaptação da Copa do Nordeste em casa
Comentários