Futebol Brasileiro

Renato confirma interesse em Everaldo e cobra CBF em relação à Covid-19

Treinador falou sobre o ex-atacante da Chapecoense após a vitória do Grêmio sobre o Fluminense; ele também comentou caso de adiamento de Goiás x São Paulo por conta de jogadores com o novo coronavírus

Avatar del

Por Redação do Esporte Interativo

Renato durante vitória do Tricolor gaúcho contra o Tricolor carioca(Lucas Uebel / Grêmio FBPA)

Renato durante vitória do Tricolor gaúcho contra o Tricolor carioca | Lucas Uebel / Grêmio FBPA

O Grêmio estreou com vitória no Campeonato Brasileiro, na noite deste domingo (09), em sua casa. E após o 1 a 0 sobre o Fluminense, o técnico Renato Portaluppi foi questionado sobre uma possível busca por atacantes depois de rescindir com André e perder Everton para o Benfica. O técnico confirmou o fato e também o interesse em Everaldo, ex-Chapecoense, atualmente no Kashima Antlers, do Japão.

"Infelizmente no futebol tem notícias que saem de dentro do clube e não deveriam. Já falei que precisamos de dois ou três atacantes. Tinha pensado nele (Everaldo) ainda no ano passado, quando foi destaque pela Chapecoense e esse ano ele tá no Japão. Não é fácil um jogador que foi vendido por uma quantia boa você buscar. Espero que as pessoas fechem a boca, porque é como falo: 'se tiver que dar a notícia, que dê o treinador'. Vamos continuar buscando atacantes que precisamos. De área a gente só tem o Diego Souza e com a saída do Everton e Andre a gente precisa repor".

O profissionbal acabou sendo perguntando posteriormente sobre o adiamento de Goiás x São Paulo, depois do clube goiano ter casos de Covid-19 em dez jogadores e com protocolos que foram motivo de imbróglio entre a instituição e a CBF. Sobre isso, Renato pediu que a entidade máxima do futebol brasileiro seja mais clara nas questões relacionadas à pandemia.

"Um assunto delicado. Todo cuidado é pouco. Tenho visto durante os estaduais uma confusão: aqui no Rio Grande do Sul o treinador tem que ficar de máscara. Pode tirar para dar informação e tem que colocar de novo. Jogadores têm que usar máscara e fazer o teste. Mas vejo finais dos estaduais do Rio de Janeiro e São Paulo, treinador que não precisa levar máscara e pode levar 12 para o banco de reservas. A questão é quem está opinando para que isso aconteça. A Covid do Rio Grande do sul não é diferente da Covid do Rio de Janeiro e de São Paulo. É importante perguntar para quem está determinando essas regras se elas entendem do assunto a CBF precisa se manifestar. Na minha opinião tem que obrigar todo mundo a fazer exames. ACBF tem que se mexer porque esse tipo de problema vai acontecer de novo, como aconteceu com o Goiás hoje. E não pode ter a decisão em cima da hora assim".

 
Borges relembra conselho para virar ídolo no Grêmio: dar um murro na cara de D'Alessandro
Comentários