Futebol Brasileiro

Reunião da FERJ aprova disputa do Carioca em outro estado durante pandemia

Fluminense e Botafogo votaram contra e argumentaram a falta de cumprimento do regulamento da competição

Avatar del

Por Aline Nastari e Monique Danello

Reunião da FERJ aprova reta final do Carioca em outro estado(Foto: Divulgação/FERJ)

Reunião da FERJ aprova reta final do Carioca em outro estado | Foto: Divulgação/FERJ

Depois do encontro com a Prefeitura no último domingo (24), a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro e os clubes cariocas voltaram a se reunir nesta segunda-feira (25), dessa vez com a presença de representantes do Fluminense e do Botafogo. Em arbitral que durou quase quatro horas, os dirigentes debateram questões importantes relacionadas ao retorno da competição.

Durante a reunião da FERJ, Fluminense e Botafogo divulgaram documento pedindo a impugnação de alguns itens da pauta. Os clubes reforçaram o posicionamento de considerar precoce o retorno das atividades e contestaram a proposta de mudança da Federação em alguns pontos do regulamento, principalmente o fato de transferir o campeonato para outro estado. Brasília é tratada como opção, principalmente depois do aval do presidente Jair Bolsonaro, em reunião com Rodolfo Landim e Alexandre Campello, mandatários de Flamengo e Vasco, na última semana.

“Seguimos na nossa posição de não retornar agora porque entendemos que a função social dos clubes de futebol é muito maior que qualquer situação econômica. Não podemos passar a ideia para a população em geral, em especial aos mais carentes, que neste momento está tudo voltando ao normal. As pessoas não estão cumprindo o isolamento social e então se voltarmos a jogar as pessoas podem se aglomerar em bares, nas casas de amigos e etc. Sobre o arbitral, já impugnamos e agora vamos pensar em outras medidas. Para tentar se valer do bom senso” – disse o presidente do Fluminense, Mário Bittencourt.



No documento com o pedido de impugnação, o Tricolor e o Alvinegro chamaram atenção para a impossibilidade de alteração das regras definidas antes do início da competição, já que não era uma decisão unânime, e destacaram o seguinte trecho do Regulamento Geral da FERJ:

“Art. 67. Após sua aprovação, o Regulamento de cada competição será disponibilizado no sítio próprio da FERJ na Internet, juntamente com a respectiva tabela de jogos, só podendo ser alterado pelo Conselho Arbitral por decisão unânime dos seus integrantes, em reunião especialmente convocada para esse fim e desde que a alteração seja realizada antes do início do campeonato, dentro dos prazos legais, de modo a assegurar a transparência, credibilidade e imutabilidade dos critérios democraticamente estabelecidos pelas equipes disputantes.

Na reunião, segundo apurou a reportagem do Esporte Interativo, a justificativa apresentada  pela FERJ usou como base o artigo 14 do mesmo regulamento, que diz no item IV:
 
Art. 14 - Em todas as competições, depois de aprovada e publicada a tabela no site da FERJ, somente uma ou mais das seguintes situações poderão alterar data, horário, local dos jogos e o mando de campo: 

IV - em ocasiões nas quais se verificar a existência de caso fortuito ou força maior;

"Seguimos o posicionamento adotado desde que iniciamos da pandemia. Continuaremos sendo criteriosos na análise da curva da COVID-19, e todos os impactos na sociedade, visando a preservação de vidas e o bem-estar dos nossos atletas e funcionários. Na reunião do Arbitral, atuamos firmes em nossas posições, defendendo os interesses do Clube", explicou Nelson Mufarrej, presidente do Botafogo.

Sabe tudo de futebol e quer provar que é um dos maiores torcedores do seu time? Clique aqui e baixe agora o Fanáticos! É grátis!

A entidade compreende a pandemia como uma situação de força maior e o presidente Rubens Lopes aprovou que os clubes votassem e aprovassem a possibilidade de levar jogos do Campeonato Carioca para fora do estado, em caso de falta de condições no Rio de Janeiro, mesmo sem unanimidade. A proposta foi aprovada por 14 a 2, apenas Mário Bittencourt e Nelson Muffarej votando contra.

O principal argumento de retorno rápido da competição é o lado econômico, mas Fluminense e Botafogo consideram que transferir a competição para outro estado pode acabar trazendo mais custos às equipes, já que precisarão fretar avião e gastar com testes frequentes para toda equipe, por exemplo. Caso o Carioca retorne e os times contrários a decisão se recusem a entrar em campo, correm risco de perder por WO. Porém, o fato pode se tornar um imbróglio judicial, já que as equipes poderiam recorrer na justiça desportiva por justa causa.

Outros pontos debatidos na reunião:

Entre os temas que ainda serão discutidos também estavam a redução do intervalo entre as partidas e a possibilidade de ampliação dos contratos dos atletas, ambos ficarão para uma nova reunião. A FERJ ainda aguarda uma posição de Brasília em relação ao pedido de mudança no tempo mínimo dos contratos dos atletas. A questão da redução do intervalo entre os jogos ainda será ampliada, com a participação do Sindicato dos Atletas do Rio de Janeiro.

Uma grande preocupação na reunião envolvia a questão de saúde dos profissionais e a dificuldade dos clubes menores em manter elencos e comissões técnicas, já que muitos contratos terminaram no fim de abril, data prevista inicialmente para o encerramento do Campeonato Carioca. 

Em nota, a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro informou que cada item da pauta foi votado amparado nos dispositivos Estatutários e Regulamentares, após as considerações de todos os presentes. A FERJ não especifica detalhes da votação mas informa que "três itens foram aprovados por unanimidade, e quatro por maioria absoluta, dos quais um item com voto contrário apenas do Fluminense e 15 votos a favor; e três itens com votos contrários apenas de Fluminense e Botafogo e 14 votos a favor".

Confira a nota na íntegra:

Na tarde desta segunda-feira (25/05), a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro realizou virtualmente o Conselho Arbitral com os representantes dos 16 clubes que disputam a Série A do Campeonato Carioca.

Dentro dos princípios democráticos, após considerações de cada um dos presentes manifestadas em cada item da pauta, foram realizadas as respectivas votações, amparadas nos dispositivos Estatutários e Regulamentares, sendo três itens aprovados por unanimidade, e quatro por maioria absoluta, dos quais um item com voto contrário apenas do Fluminense e 15 votos a favor; e três itens com votos contrários apenas de Fluminense e Botafogo e 14 votos a favor.

Todos os itens constantes da pauta possuem fundamentação e amparo estatutário e regulamentar. A insurgência contra qualquer decisão colegiada de que se participe, apesar de contrariar e ofender os princípios democráticos em que o acato à decisão legal da maioria deve prevalecer, muitas vezes induz a uma insatisfação, inconsistente e retumbante e a busca de um pretenso direito imaginário, que não se pode coibir ou julgar.

As decisões do Conselho Arbitral serão respeitadas e o documento encaminhado ao Presidente da FERJ pelos filiados Botafogo e Fluminense será analisado e despachado nos prazos regulamentares.

PONTOS DO EDITAL

1. Protocolo Jogo Seguro

2. Registro de novos contratos

3. Condição de jogo

4. Intervalo mínimo entre as partidas

5. Mandos de campo

6. Jogos fora do Rio de Janeiro

7. Outros assuntos

Agência FERJ

 
Neto rejeita volta do futebol no momento e comenta drama com irmão na UTI por conta do coronavírus


 

Comentários