Futebol Brasileiro

River Plate é punido e jogará duas partidas da Libertadores com portões fechados

Sanção do Tribunal Arbitral do Esporte se deve pela confusão da final de 2018, diante do Boca Juniors; São Paulo se "beneficia"

Avatar del

Por Priscila Senhorães e Leonardo Ferreira

Time argentino não terá sua torcida diante de Binacional, do Peru, e São Paulo(Getty Images)

Time argentino não terá sua torcida diante de Binacional, do Peru, e São Paulo | Getty Images

O TAS (Tribunal Arbitral do Esporte) puniu o River Plate nesta terça-feira (04) com dois jogos com portões fechados na próxima edição da Libertadores da América por conta da confusão da final de 2018, com o Boca Juniors.

Segundo apurou a reportagem do Esporte Interativo, a Conmebol ainda não oficializou a sanção pois ela ainda argumentará ao tribunal suíço que os "Millonários" já haviam sido punidos no ano passado - o clube argentino atuou diante de Palestino e Alianza Lima sem a presença de sua torcida no Estádio Monumental de Núñez.

Caso a multa seja confirmada pela entidade sul-americana, o São Paulo seria um dos "beneficiados", uma vez que tem confronto marcado com o River, em solo argentino, na quinta rodada da fase de grupos da Libertadores. O outro time que aproveitaria os portões fechados no local seria o Binacional, do Peru, na segunda rodada.

Sabe tudo de futebol e quer provar que é um dos maiores torcedores do seu time? Clique aqui e baixe agora o Fanáticos! É grátis!

Relembre o caso de 2018

Na final da Libertadores daquele ano, o River Plate enfrentou o Boca Juniors, seu maior rival. Após empate em 2 a 2 no jogo de ida, em La Bombonera, os "Millonários" decidiriam o troféu mais importante do continente em sua casa, mas, momentos antes da partida, o ônibus que levava os jogadores "xeneizes" ao estádio foi apedrejado. Alguns jogadores, inclusive, acabaram feridos, como o capitão Pablo Pérez, que teve lesões no braço e no olho.

A Conmebol, então, chegou a postergar a finalíssima por duas vezes no mesmo dia, mas depois a suspendeu. Mais tarde, foi definido que ela seria jogada no Estádio Santiago Bernabéu, em Madri.

Após a conquista do título por parte do River Plate - vitória por 3 a 1, na prorrogação -, o Boca foi à Conmebol reivindicando punição ao rival e, consequentemente, a sua desclassificação e perda da taça. A entidade, entretanto, rejeitou o pedido.

"O Tribunal de Disciplina da Conmebol resolve não aceitar o requerido na denúncia apresentada pelo Club Atlético Boca Juniors, no dia 25 de novembro de 2018, e sua aplicação apresentada na data de 27 de novembro de 2019", explicou, através de comunicado.

 

Comentários