Futebol Brasileiro

Sampaoli diz que treinadores são 'objetos' no futebol; Futuro no Santos é incerto

Sampaoli não sabe se continuará no Santos em 2020

Avatar del

Por Redação do Esporte Interativo

Sampaoli não sabe se fica no Santos em 2020(Robson Mafra)

Sampaoli não sabe se fica no Santos em 2020 | Robson Mafra

Na entrevista coletiva concedida após a vitória por 4 a 0 contra o Flamengo neste domingo (8), o técnico Jorge Sampaoli abriu totalmente o jogo sobre a sua situação e seu futuro no Santos. O treinador falou sobre ser ídolo, reuniões com o presidente José Carlos Peres e até admitiu que se sente muito bem no Peixe.

É um dos lugares mais felizes que já estive em toda a minha carreira", disse Sampaoli.

O argentino garantiu que não ouviu propostas de nenhum outro clube até aqui  e que técnicos de futebol não passam de objetos: "Treinadores são objeto no futebol. Preciso saber para onde vou ou saber bem o panorama para ficar no Santos. Não atendi a ninguém, nenhuma oferta concreta chegou. Minha prioridade é a reunião com o Peres amanhã e ver o melhor para o Santos".

Sobre a reunião com o presidente Peres, ambos se encontraram no sábado para tentar definir o futuro do treinador, mas Sampaoli mostrou que queria discutir sobre o assunto apenas depois do Brasileirão terminar e, por conta disso, existe uma reunião marcada para amanhã.

Assista ao Brasileirão no EI Plus!

Para o encontro, Sampaoli espera receber um projeto que capacite o Santos a ganhar títulos em 2020, caso contrário, o treinador não deve permanecer na Vila: "Amanhã, o Santos determinará primeiro minha liberação ou não no projeto. E depois de amanhã veremos meu futuro".

Se fosse por amor à camisa e por se sentir bem, o treinador ficaria no clube, mas deixou claro que não irá tomar uma decisão emocional, pois a derrota doeria muito mais.

Tenho que ser profissional. Não permitiria tomar desafio pelo emocional porque derrota doeria muito. Para ficar tenho que ver um time capaz de disputar tudo. Preciso ver se tenho condição com a minha profissão. Clube me deixará claro amanhã. E eu sei o que necessito", explicou Sampaoli.

Além disso, o técnico acredita que não é um ídolo santista, por estar a pouco tempo e não ter obtido grandes resultados. "Os ídolos do Santos estão pintados na parede. Eu queria estar lá, mas não tenho essa capacidade. Luto, acerto e erro. Tenho que pedir desculpas muitas vezes por exagerar durante os jogos, foi pelo fanatismo que tenho pela instituição", disse o treinador.

Comentários