Futebol Brasileiro

Santos aprova negociação de Soteldo com o Huachipato, do Chile

Em reunião no Conselho Deliberativo, na noite desta quarta-feira (21), maioria dos conselheiros aprovaram a venda do venezuelano para a equipe chilena

Avatar del

Por Redação do Esporte Interativo

Soteldo deverá ser negociado com o Huachipato(Ivan Storti/Santos FC)

Soteldo deverá ser negociado com o Huachipato | Ivan Storti/Santos FC

A maioria dos conselheiros do Santos aprovou, em reunião do Conselho Deliberativo do clube, nesta quarta-feira (21), a negociação de Yeferson Soteldo com o Huachipato. Agora ficará a cargo do jogador aceitar ou não a oferta. Ele ficará emprestado ao Peixe ao menos até fevereiro, enquanto os chilenos esperam por uma proposta vantajosa para vendê-lo para o exterior.

Com isso, 50% dos direitos do camisa 10 serão devolvidos aos chilenos, que cobravam uma dívida de 3,5 milhões de dólares (quase R$ 20 milhões, pelas cotações atuais) do Peixe, que nunca pagou um centavo sequer ao Huachipato pela compra de Soteldo, no ano passado.

Além disso, a equipe do Chile retirará uma outra cobrança de pouco mais de 7 milhões de dólares referentes à compra dos outros 50% que o Santos deveria pagar por conta da recusa à proposta do Atlético-MG, no início deste ano. O transfer ban, que impede o Alvinegro Praiano de contratar, também cairá, e uma dívida santista com Soteldo, de 200 mil dólares (R$ 1,1 milhão) será sanada.

"Na verdade, o Santos nunca teve o Soteldo. O Santos teve o Soteldo dentro de campo, sim, mas pelos direitos econômicos o Santos nunca pagou, sequer pagou o Soteldo. É uma espécie de devolução. Essa proposta traz inúmeras vantagens. Se conseguirmos hoje aprovar no Conselho Deliberativo e o atleta aceitar, conseguimos manter o Soteldo no Santos. Se aceitarmos essa proposta, resolvemos uma dívida antiga sem tirar um centavo do bolso. O Santos nunca pagou um real sequer pelo Soteldo. Se aceitarmos essa proposta, o Huachipato cancela o transfer ban (banimento de contratações na Fifa)", comentou Orlando Rollo, mais cedo, em entrevista coletiva no CT Rei Pelé.

"Tiramos da frente o risco de termos uma condenação de 7,2 milhões de dólares, relativos ao segundo processo, caso o Santos não pagasse o Huachipato pela proposta da Arábia (Al Hilal). Evitaremos mais uma condenação de 30 mil dólares. O principal: a gente mantém o jogador no clube até o prazo em que o Huachipato negocie o atleta. A gente transfere 50%, eles ficam com 100% do atleta, eles mantêm o atleta no clube até venderem", completou o presidente em exercício.

 
Melhores momentos - Coritiba 1x2 Santos
Comentários