Futebol Brasileiro

Sesc-RJ de Bernardinho e Flamengo estudam fusão no vôlei feminino

Clubes cariocas conversam sobre possível parceria na modalidade a partir da próxima temporada

Avatar del

Por Redação do Esporte Interativo

Bernardinho em ação na beira da quadra, pela Campeonato Estadual deste ano(Divulgação Sesc RJ)

Bernardinho em ação na beira da quadra, pela Campeonato Estadual deste ano | Divulgação Sesc RJ

Treinador mais vitorioso por clubes na história do vôlei, Bernardinho pode comandar o Flamengo a partir da próxima temporada. Mas isso não se trataria de uma trasferência por parte do profissional, e sim de um fusão entre o Sesc-RJ, time dirigido pelo multicampeão, e o Rubro-Negro. A informação é do 'UOL'. 

O Rio de Janeiro é o maior campeão da Superliga Feminina de Vôlei, com 12 conquistas (segundo maior campeão, o Osasco tem cinco troféus), mas vem, desde o ano passado, sofrendo com problemas de receita do atual patrocinador principal, o Sesc (Serviço Social do Comércio). No masculino, por exemplo, a instituição anunciou o fim da equipe que tinha campeões olímpicos como Giovane Gávio (técnico) e Walace (oposto).

Para manter, então, o feminino em seu alto rendimento, uma dobradinha com o Flamengo entrou no radar. O clube da Gávea voltou a figurar na elite do vôlei nesta temporada e terminou na antepenúltima colocação, ficando fora da zona de classificação para os playoffs. Já as comandadas de Bernardinho foram as vice-líderes da primeira fase. A Superliga, no entanto, foi dada como encerrada devido à pandemia do novo coronavírus. 

Sabe tudo de futebol e quer provar que é um dos maiores torcedores do seu time? Clique aqui e baixe agora o Fanáticos! É grátis!

Bernardinho vem tratando do assunto de forma direta com a diretoria flamenguista, conforme a própria assessoria do Sesc-RJ já confirmou. As conversas vêm andando de forma positiva e têm boas chances de sair do papel. O ex-treinador das seleções feminina e masculina é o gestor do projeto do Rio de Janeiro desde o seu início, ainda em Curitiba, em 1997. 

A ideia da parceria também tem por objetivo bater de frente com Minas Tênis Clube e Praia Clube, times que começaram a pôr uma pedra na hegemonia do Sesc nos últimos anos e que estão com orçamentos muito superiores às demais equipes. Pela parte do Flamengo, uma visibilidade maior aos patrocinadores e mais estrutura nas categorias de base atraem bastante Bernardinho e sua comissão técnica. 

 
Denílson diz que Gabigol agrada mais do que Adriano
Comentários