Futebol Brasileiro

Shaylon revela conversa com Diniz e espera espaço no São Paulo de 2020

Emprestado ao Bahia para a temporada, o meio-campista Shaylon elogiou a categoria de base do São Paulo e os jovens que fazer a espinha dorsal do atual elenco

Avatar del

Por Redação do Esporte Interativo

Com a camisa do São Paulo, Shaylon já disputou 39 partidas e marcou quatro gols(Marcello Zambrana / AGIF)

Com a camisa do São Paulo, Shaylon já disputou 39 partidas e marcou quatro gols | Marcello Zambrana / AGIF

Apesar das contratações de nomes mais consolidados no futebol nacional, o São Paulo fez dos garotos revelados nas categorias de base a espinha dorsal do time que chegou à Libertadores pelo Brasileirão de 2019. E para 2020 não deve ser diferente. Além de Igor Gomes, Liziero, Luan e Antony, mais um garoto revelado em Cotia deve aparecer com a camisa do Tricolor: Shaylon. Emprestado ao Bahia durante este ano, o atleta revelou uma conversa com o treinador Fernando Diniz.

"Conversei com o Diniz no jogo Bahia e São Paulo, em Salvador. Foi uma conversa rápida, mas ele disse que era para eu continuar trabalhando e me dedicando, pois quem sabe em 2020 ele poderia contar comigo. Espero, sim (jogar). Vou trabalhar e me dedicar bastante para aproveitar da melhor maneira as oportunidades que aparecerem para fazer um grande ano de 2020", contou ao 'Globo Esporte'.

Shaylon também aproveitou para elogiar muito sua origem: a categoria de base do Tricolor. "A base do São Paulo é muito qualificada. Têm grandes jogadores que podem ajudar o São Paulo a voltar a vencer e ganhar esses títulos que todo mundo quer", analisou.

Sabe tudo de futebol e quer provar que é um dos maiores torcedores do seu time? Clique aqui e baixe agora o Fanáticos! É grátis!

O grande desejo do torcedor do São Paulo é a Libertadores da América. Mas o caminho da equipe não será nada fácil, já que caiu em um grupo com River Plate, da Argentina, LDU, do Equador, e Binacional, do Peru. Para Shaylon, o grupo será um bom teste para o Tricolor.

"Grupo difícil. Talvez o mais difícil da primeira fase. Mas todos são difíceis. Sabemos como é a Libertadores e para quem quer ser campeão, almeja coisas grandes, não tem como escolher adversário. Tem de enfrentar de igual para igual o adversário que vier pela frente", garantiu.

 
Comentários