Futebol Brasileiro

Silêncio da diretoria e indefinição na contratação do próximo técnico do Palmeiras geram pressão por saída de Anderson Barros

Verdão chega ao 15º dia sem treinador e o diretor de futebol já tem seu trabalho questionado por conselheiros da situação e da oposição

Por Rodrigo Fragoso

Anderson Barros (dir) ao lado de Mauricio Galiotte (esq) durante treino do Palmeiras(Cesar Greco/Ag. Palmeiras)

Anderson Barros (dir) ao lado de Mauricio Galiotte (esq) durante treino do Palmeiras | Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Depois da demissão de Vanderlei Luxemburgo, o Palmeiras perdeu uma partida e venceu outras duas consideradas bastante importantes pela diretoria. Contra o Tigre, da Argentina, o Verdão goleou e garantiu o primeiro lugar geral na Libertadores, enquanto diante do Atlético-GO encerrou uma série de quatro derrotas consecutivas no Brasileirão. No entanto, a pressão política é gigante no clube dada a demora para o anúncio do próximo treinador.


A reportagem do Esporte Interativo apurou que não é mais uma questão de oposição questionando o trabalho e situação defendendo o que vem sendo realizado. Os 15 dias sem um novo comandante já geraram protestos da torcida nas ruas e nas redes sociais, mas o silêncio da diretoria durante todo esse período, sem uma definição ou uma justificativa para as semanas sem a contratação, gerou dúvida sobre a capacidade de Anderson Barros comandar o departamento de futebol do Palmeiras.


Embora Alexandre Mattos tenha deixado o cargo sob protestos, há quem diga que ele jamais perderia negociações como Anderson Barros perdeu. A frustrada viagem para a Colômbia em busca do lateral-direito Daniel Muñoz, na época jogador do Atlético Nacional, para muitos conselheiros havia sido apenas um acidente. Porém, o retorno de Anderson Barros do Equador sem Miguel Ángel Ramírez, tendo levado um advogado do clube e o vice-presidente para fechar negócio, ligou o sinal de alerta.


Desde a negativa do espanhol, a diretoria alviverde trabalha para não vazar nada do que está sendo trabalhado em relação aos novos alvos e, por isso, também deixou de comentar com muitos aliados políticos qual norte está sendo tomado para resolver o problema. Em meio a diversos nomes especulados e notícias vindas do exterior de negativas para o projeto apresentado, muitos conselheiros se recordam do antigo diretor de futebol (ainda que tenham ressalvas) Alexandre Mattos com saudosismo, lamentando a condução de Anderson Barros.

 
Melhores momentos - Palmeiras 1x 3 Coritiba


O Palmeiras enfrenta na próxima quinta-feira, pela Copa do Brasil, o Red Bull Bragantino, pela partida de ida das oitavas de final da competição. A expectativa é de que Andrey Lopes, auxiliar fixo do clube, alcance sua quarta partida consecutiva como técnico interino. Além das vitórias sobre Tigre e Atlético-GO, Lopes também é responsável pela derrota por 2 a 0 para o Fortaleza.

Comentários