Futebol Brasileiro

Tiago Nunes diz que queria jogadores de nível europeu no Corinthians: 'Não sabia dos problemas financeiros'

O ex-técnico do Corinthians, Tiago Nunes, falou pela primeira vez após deixar o comando do clube e garantiu que buscou uma mudança total do clube, mas que deveria ter dado prioridade ao que aconteceu dentro de campo

Avatar del

Por Redação do Esporte Interativo

Tiago Nunes comandou o Corinthians em 28 jogos, com dez vitórias, dez empates e oito derrotas(Getty Images)

Tiago Nunes comandou o Corinthians em 28 jogos, com dez vitórias, dez empates e oito derrotas | Getty Images

Tiago Nunes pela primeira vez falou sobre sua saída do Corinthians. O técnico, demitido após a derrota no clássico para o Palmeiras, explicou que buscava no Timão a contratação de jogadores de nível europeu, disse que se surpreendeu com as dificuldades financeiras da instituição e explicou as dispensas de Ralf e Jadson da equipe.

"Claro que (Ralf e Jadson) poderiam ser úteis. São atletas de qualidade. Com a bagagem que tem, poderiam ser úteis. Mas ser útil é pouco para o Corinthians. Pensava em jogadores para serem titulares do Corinthians, do Manchester City, Real Madrid, Flamengo... Ser útil é desrespeito com a carreira deles. Percebemos que tivemos que buscar dentro do próprio Corinthians para sanar dificuldades. Como encarei a mudança de características de jogo, eles não iriam casar. Não sabia das dificuldades financeiras. Teve o agravante da pandemia. Acabou dificultando muito o trabalho da direção, que se esforçou para trazê-los. Muitos foram oferecidos, mas precisávamos de nível europeu", afirmou em entrevista à 'ESPN', que completou dando o exemplo de um outro clube brasileiro para exemplificar o nível de jogadores que era desejado no Timão.

Jogadores como o Flamengo vinha fazendo contratações. Não aceitamos muitos que estavam em uma prateleira abaixo para buscar os maiores. Esperávamos maiores e recusamos alguns que poderiam fazer parte desse elenco. Queríamos algo a mais. Vim convicto que o Corinthians precisava buscar uma mudança de ideia de jogo e aproveitar a base. Investimos em coisas internas do clube, comunicação, em vários departamentos para se comunicarem. Gastamos mais energia nisso do que na equipe. Isso foi um erro crucial mesmo. Investir na gestão mais do que dentro de campo. Quando divide energia, enfraquece. O lado de campo meu ficou prejudicado", garantiu.

Tiago Nunes também evitou colocar em si mesmo todo o peso do desempenho e de sua consequente saída do cargo de técnico do Corinthians, culpando a diretoria por parte dos resultados.

"Sobre a saída, tem coisas que não podem ser direcionadas para mim, mas sim para a direção. O trabalho foi transparente, sempre fui franco e direto. Cobramos quem tínhamos que cobrar, elogiamos quem tínhamos que elogiar. Fomos honestos. Dentro da proposta que nos foi colocada no ano passado, a intenção clara da mudança do método do trabalho, aproveitamento da categoria de base. Tentamos pensar primeiro no clube, no projeto, na continuidade. Tenho certeza, não é só no Corinthians, resultado tem peso fundamental. É natural que aconteça. Mas em um ano de tantas mudanças, seria normal oscilar resultados. Não para o Corinthians. É uma grande cobrança, como no Flamengo, grande popularidade. É difícil imaginar que o torcedor possa aceitar o projeto, que aceite esse tempo e nos fatores que influenciam na oscilação de performance e resultado. Esse processo de mudança não popular vai trazer frutos a longo prazo. Ideias, perfil de jogadores, Corinthians precisa buscar um novo patamar, disputar títulos nacional e internacionalmente. É preciso para voltar a ser o grande clube que é", disse.

 
Simeone indica que pode usar Luis Suárez e Diego Costa juntos no ataque do Atlético de Madrid
Comentários